Jesus exige a totalidade. Este é o mandamento, e não há negociação

“Jesus respondeu: — Eu afirmo a vocês que isto é verdade: aquele que, por causa de mim e do evangelho, deixar casa, irmãos, irmãs, mãe, pai, filhos ou terras receberá muito mais, ainda nesta vida. Receberá cem vezes mais casas, irmãos, irmãs, mães, filhos, terras e também perseguições. E no futuro receberá a vida eterna. Muitos que agora são os primeiros serão os últimos, e muitos que agora são os últimos serão os primeiros.”

‭‭Marcos‬ ‭10:29-31‬ ‭NTLH‬‬

Muitos dos nossos problemas em viver para Jesus derivam do problema básico de acharmos que podemos fazer isto. Presumimos que temos o poder. Então, começamos a tentar empurrar o camelo pelo fundo de uma agulha.

No entanto, entender a impossibilidade é o primeiro passo para a obediência.

Esta é a verdadeira liberdade do que significa ser um cristão: enfrentar a impossibilidade da minha própria obediência honestamente, o que me leva não ao desespero, mas ao Deus que é capaz de fazer todas as coisas.

O Homem Que Pensa Que Consegue

Marcos não nos fala muito sobre o indivíduo em Marcos 10.17; ele simplesmente nos apresenta “um homem”:

E, pondo-se Jesus a caminho, correu um homem ao seu encontro e, ajoelhando-se, perguntou-lhe: Bom Mestre, que farei para herdar a vida eterna?”

O homem estava certo em algumas coisas.

Ele queria saber o que precisava fazer para fazer parte do grande reino de Deus. Era uma coisa boa que ele se importasse com o reino de Deus — ele podia ver que isso realmente importa. Deus está reunindo todas as coisas neste mundo sob o seu rei designado, Jesus. Este é o plano de Deus para o mundo, e aquele homem anônimo queria saber como entrar nele.

E era uma coisa boa que ele houvesse vindo a Jesus. Claramente ele entendia que havia algo sobre Jesus que é significativo.

O homem se importava com a coisa certa. Ele até foi ao lugar certo.

Mas ele entendeu uma coisa errada. Ele queria saber o que ele tinha que fazer. Ele tinha uma visão alta de sua própria habilidade, demasiada confiança em seu poder para obedecer.

Portanto, foi por aí que Jesus começou:

Respondeu-lhe Jesus: Por que me chamas bom? Ninguém é bom senão um, que é Deus. Sabes os mandamentos: Não matarás, não adulterarás, não furtarás, não dirás falso testemunho, não defraudarás ninguém, honra a teu pai e tua mãe. (Mc 10.18–19)

Jesus aponta o homem para Deus como o padrão supremo do bem e depois começa a listar os mandamentos. O homem ficou completamente imperturbado:

Então, ele respondeu: Mestre, tudo isso tenho observado desde a minha juventude. (Mc 10.20)

Ele trabalhava duro; seguia as regras; tentava fazer seu melhor. Tudo parecia bem.

Mas Jesus vê as coisas de maneira diferente.

O Amor

A próxima frase é fundamental: “E Jesus, fitando-o, o amou”.

Este é o único homem em todo o Evangelho de Marcos a quem explicitamente nos dizem que Jesus amou. E isto é impressionante, dado como o amor de Jesus se revela nesta história.

Jesus ama demais esse homem para permitir que ele continue em seu pequeno mundo de suor, trabalho duro e determinação. Ele não está disposto a acariciar o ego do homem e dizer a ele como ele é maravilhoso. Em vez disso, Jesus emite um comando.

Não é difícil entender o que Jesus estava dizendo. Ele não foi vago e inespecífico. Mas este comando solapa todo os alicerces sobre os quais o homem havia construido sua vida. Aqui está o comando:

“[e disse:] Só uma coisa te falta: Vai, vende tudo o que tens, dá-o aos pobres e terás um tesouro no céu; então, vem e segue-me.” (Mc 10.21)

Não há espaço para negociação, não há espaço para confusão. Eis o que Jesus exigiu daquele homem: ele devia vender tudo.

Ele, porém, contrariado com esta palavra, retirou-se triste, porque era dono de muitas propriedades. (Mc 10.22)

O homem lentamente se virou e começou a se afastar. Somente nesse ponto da história, Marcos nos conta a informação crítica sobre aquele homem—ele tinha uma grande riqueza.

É um momento comovente. Jesus ama o homem—e ele o deixa ir embora. Isso te surpreende? Jesus não corre atrás do homem e abaixa o nível. Ele não negocia e aceita um valor que o homem estaria disposto a dar.

Jesus exige a totalidade. Este é o mandamento, e não há negociação.

Não é apenas um mandamento difícil. É impossível, e o é intencionalmente.

Nível Elevado Demais

Por que Jesus colocaria o nível tão incrivelmente alto? Por que ele exigiria algo que não pode ser feito? Não porque ele seja cruel e duro, mas precisamente porque ele é amor.

O homem havia condensado os mandamentos de Deus em algo que ele poderia alcançar. Ele tinha uma visão da Palavra de Deus que presumia que seguir Seus mandamentos estavam dentro de seu poder. Sim, eu consigo fazer isso.

A resposta correta ao mandamento de Cristo teria sido cair de joelhos e, com uma voz trêmula, dizer: “Não consigo fazer isto”. Só então — com sua autoconfiança em farrapos e seu coração exposto — estaria pronto para receber o reino de Deus como uma criança (Mc 10.15).

‘Eu Não Consigo’

Podem ser palavras difíceis de dizer, não é? Mas são essenciais que as aprendamos.

Jesus nos ama demais para afagar nossos egos e nos dizer o quanto somos fabulosos. Em vez disso, ele emite comandos muito além da nossa capacidade de obedecer para nos atrair até ele.

Reflita sobre o que Jesus disse ao jovem rico. Quando ouvimos “vai, vende tudo o que tens, dá-o aos pobres”, podemos reagir rapidamente: claro que ele não quer dizer que eu deva fazer isso. Isto seria ridículo e impraticável. Ele só estava falando para aquele homem. Ele só quiz dizer que eu deveria ser mais generoso. Sim, acho que consigo ser um pouco mais generoso. Vou tentar doar um pouco mais de dinheiro esta semana. Ótimo — estou muito bem.

E este é precisamente o problema. Nós achamos que podemos fazer isto. Encontramos uma solução para o problema de obedecer aos mandamentos—mas não estamos obedecendo a Ele.

Em vez disso, pare e note o peso dos mandamentos que Jesus dá. Sinta a maneira como o dinheiro detém o poder sobre o seu coração. Deixe o desafio de Jesus expor seu coraçāo. Qualquer mandamento encontrado nas páginas das Escrituras terá esse efeito se pararmos e prestarmos atençāo. Não, não nos parece confortável; não, isso não nos dá uma sensação de que somos ótimos. Mas é lá, naquele lugar de fraqueza, que realmente aprenderemos a sussurrar essas duas pequenas palavras: não consigo.

E esta admissão honra a Deus mais do que jamais saberemos. É o primeiro passo no caminho da obediência alegre, profunda e satisfatória.

Jonty Allcock é pastor na Globe Church, no centro de Londres, Reino Unido. É casado com Linda e adora ser pai de três filhos. Ele é o autor de Impossible Commands (The Good Book Co., 2019).

(Texto de Jonty Allcock, Traduzido por Marq, Coalisão pelo Evangelho)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s