Quando Deus abandona a nação

Sermão de John MacArthur na Grace to you, em 20/08/2006, baseado em Romanos 1:18-32.

É sempre instrutivo, é sempre esclarecedor, às vezes é literalmente cintilante recorrer às páginas da Palavra de Deus e ver o que ela tem a dizer e a relevância com que fala no nosso tempo e em nossas vidas. Isso será verdade hoje à noite, quando entregarmos nossas Bíblias ao primeiro capítulo de Romanos, Romanos, capítulo 1. E estaremos olhando uma parte um tanto familiar das Escrituras para quem estuda a Bíblia. Romanos, capítulo 1, começando no versículo 18 e terminando no final deste capítulo.

Vou ler apenas o primeiro verso para preparar o cenário para o desdobramento dessa verdade profunda. Romanos 1:18: “Porque a ira de Deus é revelada do céu contra toda a impiedade e injustiça dos homens que reprimem a verdade na injustiça.” Esta seção é sobre a ira de Deus. É certo que não é um assunto popular, certamente não é um assunto popular no mundo e nem mesmo um assunto muito popular na igreja. Mas um assunto absolutamente crítico e central para qualquer entendimento do evangelho, a ira de Deus.

Agora, existem vários aspectos diferentes na ira de Deus. Existe o que poderíamos chamar de ira eterna, porque é o castigo que Deus impõe aos pecadores incrédulos para sempre no inferno. Essa é a ira eterna. E a Bíblia fala frequentemente disso. Há também ira escatológica. Essa é a ira de Deus que é liberada no fim do mundo descrita por alguns dos profetas do Antigo Testamento, descrita pelo próprio Jesus Cristo no discurso do Monte das Oliveiras e claramente apresentada para nós no livro do Apocalipse. Ira escatológica, aquele aspecto da ira de Deus que é liberado no fim do mundo.

Há também o que poderíamos chamar de ira cataclísmica, como um tsunami, um vulcão, um furacão, um terremoto, um avião voando para as Torres Gêmeas, resultando em milhares de mortes. Cataclismos acontecem neste mundo. E eles são um reflexo do julgamento de Deus. Há também o que você poderia chamar de ira conseqüente. A ira conseqüente é a ira da sementeira e da colheita. Você vive um certo tipo de vida e põe em movimento certas forças que produzirão julgamento.

Mas há um outro tipo de ira, que é a ira que é apresentada nesta passagem e é a ira do abandono. É a ira do abandono. É a ira exibida por Deus quando Ele vira as costas para uma sociedade. Uma das cenas mais trágicas nas páginas das Escrituras nos proporcionaria uma boa ilustração disso. É uma cena que envolve o homem mais forte que já viveu, o poderoso Sansão. Ele é o Super-Homem original e um verdadeiro.

De acordo com os juízes 16 versículos 18 a 21, lemos o seguinte: “Quando Dalila viu que ele havia lhe contado tudo o que havia em seu coração, ela enviou e chamou os senhores dos filisteus, dizendo: ‘Suba mais uma vez, pois ele contou-me tudo o que está em seu coração. ”Então os senhores dos filisteus chegaram a ela e trouxeram o dinheiro em suas mãos. E ela o fez dormir de joelhos, procurou um homem e mandou-o raspar as sete mechas do cabelo. Então ela começou a afligi-lo, e sua força o deixou. E ela disse: ‘Os filisteus estão com você, Sansão!’ E ele acordou de seu sono e disse: ‘Eu sairei como em outros momentos e me libertarei.’ ”- e então isto -“ Mas ele não sabia que o Senhor se afastou dele. E então os filisteus o agarraram e arrancaram seus olhos; e o trouxeram a Gaza e o amarraram com correntes de bronze, e ele era um moedor na prisão. ”Um emprego para uma mula. Por causa de seu pecado, o Senhor o deixou. O julgamento do abandono.

Para os filhos de Israel, Deus disse em Juízes 10: “Você me abandonou e serviu a outros deuses; portanto, não te livrarei mais. Vá e clame aos deuses que você escolheu; deixe que eles o livrem no momento da sua angústia. ”Deus está dizendo que eu terminei com você. No capítulo 1 de Provérbios, versículos 24 a 31, encontramos um sentimento semelhante. “Porque eu liguei e você recusou, estendi minha mão e ninguém prestou atenção; e você negou todos os meus conselhos e não quis minha repreensão; Eu também rirei da sua calamidade; zombará quando seu pavor chegar, quando seu pavor vier como uma tempestade e sua calamidade vier como um turbilhão, quando angústia e angústia vierem sobre você. Então eles me chamarão, mas eu não responderei; Eles me procurarão diligentemente, mas não me encontrarão, porque odiavam o conhecimento e não escolheram o temor do Senhor. Eles não aceitaram o meu conselho, eles rejeitaram toda a minha repreensão. Então eles comerão do fruto do seu próprio caminho e serão saciados com seus próprios artifícios. ”

Em Oséias 4:17, está registrado que Deus disse: “Efraim se une aos ídolos; deixe-o em paz. ”Chega um momento em que Deus abandona os homens. Deus chega a um ponto em que Ele deixa um povo ir, deixa-o ir às consequências de suas próprias escolhas pecaminosas. Eles não aceitam Seu conselho, desprezam toda a Sua repreensão, como diz Provérbios, então comem o fruto de suas próprias escolhas e devem estar satisfeitos com os dispositivos que escolheram. Dos fariseus, Jesus disse: “Deixe-os em paz; eles são líderes cegos dos cegos. ”Mateus 15:14, as palavras mais aterradoras:“ Deixe-os em paz ”.

É uma coisa assustadora pensar nisso. É assustador pensar que você pode ser abandonado por Deus, que a oportunidade de salvação já passou, que o dia da graça acabou. As passagens que li para você dizem respeito a um indivíduo no caso de Sansão. Mas, na maioria das vezes, eles se relacionam com um grupo como os fariseus ou com uma nação como Israel. E acho que é muito relevante falar sobre isso, porque vou tentar mostrar a você a partir desta passagem hoje à noite que é bastante convincente que Deus abandonou nossa nação. Deus abandonou a América aos efeitos de suas escolhas pecaminosas.

Ah, essa não é a primeira nação com a qual aconteceu, esta é a história da história. Atos 14:16, o apóstolo Paulo disse: “Nas gerações passadas, Ele” – Deus – “permitiu que todas as nações seguissem seu próprio caminho”. Esta é a história da história. Todas as nações da história seguem seu próprio caminho. Assim, como as nações antigas, como as nações passadas, seguimos o mesmo ciclo de ter a verdade, rejeitando a verdade e sendo abandonados por Deus. C.S. Lewis estava escrevendo em seu livro, The Problem of Pain, e ele escreveu isso. “Os perdidos desfrutam para sempre a liberdade horrível que exigiram e, portanto, são escravizados por si mesmos.”

Deus abandonará os pecadores às suas próprias escolhas e às consequências dessas escolhas. E o que é esse ato de abandono da parte de Deus? É a remoção da graça restritiva. É quando Deus desiste e entrega a – uma sociedade às suas próprias liberdades pecaminosas e aos resultados dessas liberdades. Nenhuma Escritura confronta mais diretamente esse abandono e suas conseqüências do que Romanos 1. Aqui está a discussão mais gráfica e abrangente do que significa ser abandonado por Deus. E é a melhor passagem que eu conheço para explicar o caos moral e a confusão que experimentamos em nossa própria nação neste exato momento. A ira de Deus já está em ação em nossa cultura. Não estamos esperando por isso; no momento, estamos passando por isso.

Vá para o versículo 24, e aqui está a seção que define o que significa ser abandonado por Deus. O versículo 24, “Deus os entregou”. O verso 26, “Deus os entregou”. O versículo 28, meio do versículo, “Deus os entregou”. Três vezes você tem a afirmação: “Deus os entregou”. paradidōmi no grego, pode ter um sentido judicial. Pode ser usado em um julgamento feito sobre um criminoso que foi então entregue para punição. Cada uma dessas frases expressa o fato de que a ira de Deus agiu judicialmente para sentenciar os pecadores. É Deus oficialmente dando-lhes. É Deus deixá-los ir para a causa ininterrupta e produzir suas escolhas pecaminosas.

Quando esse julgamento cai, há uma privação da graça restritiva e o pecado corre desenfreado através de uma sociedade. O pecado é a causa disso e do efeito, e a próxima causa e o próximo efeito, à medida que continua e continua. O pecado é a razão e o pecado é o resultado. O pecado é a causa e o pecado é a consequência. Agora eu quero que você observe a ira do abandono em sua progressão. Isso ajudará você a entender por que digo que estamos vivendo isso não apenas na América, mas no mundo e, principalmente, no mundo ocidental de hoje.

Veja o versículo 24. Quando a ira do abandono entra em ação, essa ira que é definida para nós como Deus os entregando segue três etapas. Segue três etapas seqüenciais. Você percebe “Portanto” e que, é claro, o conecta à passagem anterior. A passagem anterior tem como afirmação principal: “A ira de Deus é revelada do céu.” E há várias declarações sobre por que a ira de Deus é revelada, porque a verdade foi suprimida, porque aquilo que é conhecido por Deus é rejeitado, etc., etc. E então, no versículo 24, você volta ao que é essa ira: “Portanto, Deus os entregou”. E, antes de tudo, “Deus os entregou nos desejos de seus corações à impureza, para que seus corpos fossem desonrados entre eles”.

A primeira indicação em uma sociedade da ira do abandono é a imoralidade sexual, imoralidade sexual. Quando uma sociedade se torna pornográfica, quando o caráter geral de uma sociedade pode ser visto como imoral, essa ira está em vigor. Quando o homem é abandonado por Deus, quando uma sociedade é abandonada por Deus, ela opera apenas a partir das paixões de seu próprio coração impuro. Opera nas concupiscências do coração, levando à impureza. O coração é miserável, o coração é imoral e o corpo segue. Então você vê isso no versículo 24. Primeiro, as concupiscências dominam o coração, levando à impureza e os corpos seguem de maneiras desonrosas. O coração é perverso e irrestrito, o corpo segue e você tem uma cultura pornográfica.

Podemos voltar muito rapidamente em nosso próprio país à revolução sexual conectada ao movimento hippie, conectada ao início do império da Playboy e, desde então, essa sociedade se tornou cada vez mais pornográfica até que a Internet seja dominada por milhões e milhões de sites pornográficos imorais alimentar os desejos insaciáveis que dominam nossa cultura. Isso leva ao esmagamento e esmagamento do casamento. Isso leva a abusos horríveis e horrendos de crianças, pedofilia, todo tipo de abuso infantil, todos os tipos de pornografia envolvendo crianças que continuam a correr desenfreadas em um ritmo selvagem porque a graça restritiva foi removida. E o sexo é desenfreado, o casamento se torna uma opção menor, à medida que as pessoas se envolvem em comportamento imoral de maneira imediata e constante, sem compromisso.

Esse é apenas o primeiro passo. Então você olha para uma sociedade e pergunta: ela é motivada pela imoralidade sexual? É cheio de luxúria no coração, levando à impureza e o corpo segue um comportamento desonroso? A resposta para o nosso próprio mundo e nossa própria sociedade é sim. E seria muito difícil imaginar uma nação neste mundo ocidental saturado pela mídia em que vivemos, seria difícil entender uma nação seguindo esse caminho sem arrastar todo o mundo exposto à sua cultura através da mídia. E assim, não é apenas uma questão nacional, é uma questão mundial. Mas isso é apenas o primeiro passo.

O passo dois está no versículo 26. “Por essa razão, Deus os entregou” – aqui está o segundo passo – “para paixões degradantes”. Agora, não estamos apenas falando sobre paixões, acrescentamos degradantes. Nós estamos afundando. Há uma maior deboche aqui. As paixões degradantes podem ser definidas como afetos grosseiros, desejos vis, perversão ou mesmo inversão. E aqui está definido. “Suas mulheres trocaram a função natural por aquilo que não é natural.” Pura e simples, Lesbianismo, homossexualidade.

E o Espírito Santo, primeiro nesta passagem, refere-se à degradação das mulheres, porque elas geralmente são as últimas a serem afetadas na decadência da moral, porque elas têm um instinto maternal e um instinto protetor sobre seus próprios filhos, mas quando a ira do abandono se aproxima. força, até as mulheres caem nas paixões degradantes. E em nossa cultura o movimento lésbico tem sido vocal e implacável, apaixonado, feroz e até violento. Prova de que absolutamente toda a virtude se foi quando a maternidade, o relacionamento virtuoso humano mais alto e normal é abandonado e as pessoas que o fazem são elevadas como ícones culturais. Toda virtude se foi quando a homossexualidade invade o gênero feminino.

E o versículo 27 acrescenta: “Da mesma forma, os homens abandonaram a função natural da mulher e queimaram seu desejo um pelo outro, homens com homens cometendo atos indecentes e recebendo em suas próprias pessoas a devida penalidade de seu erro.” E há um pequeno deslize na ira conseqüente. Qual é a penalidade devida por seu erro? Que eles recebem doenças venéreas, AIDS. Isso também aumentará nessa ira de abandono. Também haverá a conseqüente ira de escolhas pecaminosas, levando a doenças mortais. A homossexualidade é o segundo passo.

Então olhe para uma sociedade. Quando você vê uma sociedade pornográfica, que se dedica à imoralidade sexual, fornicação, adultério como um modo de vida, como um modo de vida dominante, que não só existe, mas é aprovado e exaltado de todas as formas na mídia, você sabe que a ira do abandono está em operação. E então, quando uma sociedade também exalta a homossexualidade, o lesbianismo e a homossexualidade masculina, ou sodomia, você sabe que está afundando ainda mais.

Mas há um terceiro passo. E o terceiro passo está no versículo 28. “Assim como eles não acharam mais adequado reconhecer a Deus”, – aqui está o terceiro passo – “Deus os entregou a uma mente depravada”. Primeiro o coração está podre e o corpo segue. , e então a mente vai. O que é uma mente depravada? Bem, a palavra significa literalmente testada e considerada inútil, desqualificada para o propósito pretendido, uma mente que não funciona. O raciocínio está tão corrompido que está aleijado. A faculdade, a faculdade intelectual não pode mais funcionar. A lei moral de Deus escrita no coração foi literalmente pisoteada e substituída pela imoralidade cultural. A consciência não pode funcionar.

E assim, diz o versículo 28, eles fazem as “coisas que não são apropriadas”, não morais. Então a imoralidade segue em todas as direções e agora você não consegue encontrar o caminho de volta, porque a mente é muito corrupta. As pessoas não pensam direito. O cérebro das pessoas não segue os caminhos que deveriam. Eles defendem todas as coisas miseráveis e depreciam todas as coisas virtuosas. E o que flui dessa cultura pornográfica, homossexual e depravada? Todo o mal, versículo 29. “Toda injustiça, maldade, cobiça, maldade; cheio de inveja, assassinato, contenda, engano, malícia; fofocas, caluniadores, odiadores de Deus, insolentes, arrogantes, orgulhosos, inventores do mal ”- eles até inventam novas formas de mal -“ desobedientes aos pais ”- você se pergunta como é que isso chegou lá; isso foi uma ofensa capital no Antigo Testamento; desobedece a seus pais, você perde sua vida – “sem entender, não confiável, sem amor, sem misericórdia.

E isso é apenas uma lista parcial. É como se alguém abrisse o esgoto do pecado e o deixasse correr pela sociedade. E embora eles conheçam a ordenança de Deus – está escrita no coração, Romanos 2, está escrita nas páginas das Escrituras – e também sabem que aqueles que praticam tais coisas são dignos de morte. Eles não apenas fazem o mesmo, mas também aprovam com firmeza aqueles que os praticam. Eles sabem que está errado. Eles sabem as consequências. Eles fazem isso de qualquer maneira e dão uma aprovação firme a outros que o fazem. Eu sempre penso em quando o impeachment do presidente Clinton foi pego em sua escandalosa imoralidade, seus índices de aprovação aumentaram. Esses são os romanos 1. É claro que eles subiram porque todo o resto dos pecadores se sente à vontade com um líder que é como eles.

Este é apenas um dia no jornal, um dia na rede de notícias a cabo. Esta é apenas a vida no mundo em todas as suas formas pecaminosas. Sem consciência, sem razão, sem restrições, uma sociedade se torna como bestas luxuriosas e imorais, correndo soltas. Chega ao nível de Jerry Springer, onde é tão bizarro e tão corrupto que rimos da corrupção não convencional. Você olha para a sociedade neste país e se pergunta; é uma sociedade pornográfica, homossexual e depravada manifestando todas essas características ou não?

A resposta é inconfundivelmente clara. A mídia, a televisão, a indústria da música, o rádio, as revistas apresentam as pessoas que são fornecedoras dessa sujeira como heróis e ícones culturais. Pessoas do cinema, pessoas da televisão, pessoas da música etc. Esse material é até defendido em todo o país em instituições educacionais. Particularmente as universidades são literalmente camas quentes para a defesa de todo esse tipo de iniqüidade. É isso que acontece quando Deus abandona uma sociedade. Olho para a nossa sociedade e digo: “É isso aí”. E isso nos leva à questão do texto. Por que Deus faz isso? Por que Deus abandona uma sociedade? Vamos voltar ao versículo 18.

Agora sabemos como é quando Ele faz, mas por que Ele faz isso? “A ira de Deus é revelada do céu contra toda impiedade e injustiça dos homens que suprimem a verdade na injustiça.” A ira de Deus já está operando em nossa cultura. E Deus abandonou nossa sociedade em larga escala e deixou nossa sociedade seguir o caminho que escolhe seguir sem restrições. Mas Deus abandonou nossa sociedade porque nossa sociedade primeiro abandonou Deus. Não há evidências mais seguras e tristes de uma sociedade abandonada corrompida e perversa do que quando essa sociedade não tolerará a raiva contra o pecado.

Nossa sociedade não tolera raiva contra o pecado. Nossa sociedade se alimenta do pecado e não quer que ninguém negue suas iniquidades. E então, aqui estamos nós, sob a ira do abandono de Deus. Não é como antes. A graça restritiva foi recuada e essa sociedade se torna mais imoral, mais homossexual e mais depravada todos os dias. E porque? Vou lhe mostrar uma sequência iniciada no versículo 18 que nos levou a isso.

O principal motivo está resumido em uma declaração. “Nós suprimimos a verdade.” Qualquer sociedade que suprime a verdade. Literalmente no original, que constantemente tenta suprimir a verdade. E eles a reprimem em injustiça, ou melhor, por sua impiedade. Esmagamos a verdade, silenciamos os que falam a verdade, apegados ao nosso pecado. Vemos a luz, odiamos a luz, corremos para as trevas, desprezando a luz, condenando a luz. Suprimir a verdade deve implicar que temos a verdade. Deus existe e Ele fez Sua existência conhecida por nós. Ele divinamente criou nossa mente para trabalhar com base em causa e efeito e voltar ao fato de que o efeito, o mundo, deve ter uma causa, ou seja, o Criador. E poderíamos entender que havia um Deus apenas pela razão.

Também em Romanos 2, Ele colocou divinamente dentro de nós uma lei escrita em nossos corações, que é um padrão ético moral que deve ser obedecido ou ativa uma consciência que é um dispositivo de alerta em todo ser humano que ameaça esse ser humano como uma perda de bem-estar. e medo e perigo se violados. Depois, há a revelação de Deus nas Escrituras. No mundo ocidental, temos a Palavra de Deus há séculos. Nos Estados Unidos, temos há séculos. Mas esta nação e o mundo suprimiram a verdade na injustiça, esmagaram-na sob as preferências pelo pecado. Agora, deixe-me apenas descompactar esses versículos, versículo 18 ao verso 23, apresentando quatro razões seqüenciais específicas para a ira de Deus.

Número um, revelação, número um, revelação. Os homens receberam a verdade. O versículo 18 diz: “Suprimimos a verdade”. O versículo 19 descreve a fonte disso. “O que se sabe sobre Deus é evidente dentro deles; porque Deus tornou isso evidente para eles. ”- através da razão e da lei moral escrita no coração. – “Desde a criação do mundo, Seus atributos invisíveis, Seu poder eterno e natureza divina, foram claramente vistos, sendo compreendidos através do que foi feito, de modo que eles não têm desculpa.” Eles estão sem desculpa, porque é tão óbvio. que uma criação precisa ter um Criador, um design precisa ter um designer.

Deus embutiu a evidência da verdade espiritual e moral e de Sua própria existência, Sua grandeza e Seu poder no próprio tecido do ser humano. Falamos sobre nossos cinco sentidos, mas temos mais trabalho em nós do que apenas cinco sentidos físicos. Nós temos dois sentidos espirituais. A razão é uma e a moralidade é outra. Estes são tão fortes dentro de nós que nos levariam a Deus como Criador, um Criador poderoso; eles nos levariam a Deus como um legislador e, portanto, um juiz se apenas seguíssemos o que é implantado em nossos corações. De fato, está tão embutido em nós, no final do versículo 20, que todos nós estamos “sem desculpa”.

Você não pode alegar ignorância. E em nosso país e no oeste, temos, adicionalmente, a Bíblia, igrejas e instituições cristãs. Todas as faculdades, faculdades da hera league fundadas originalmente, foram fundadas como instituições cristãs para treinar pastores. Ao longo da história desta nação, tivemos a verdade. Deus se fez conhecido por revelação geral, na criação, percebida pela razão e pela lei escrita no coração, percebida pela consciência. O que pode ser conhecido por Deus. Deus é conhecível. Cristo é a luz que ilumina todos os homens.

Todo mundo tem algum conhecimento de Deus evidente – eu amo essa importante declaração – evidente neles ou dentro deles. Na mente, na alma, na razão, na consciência, na estrutura do que é ser humano. Então você acrescenta a isso a revelação especial das Escrituras e ouvimos a verdade. Desde o início da existência desta nação, ouvimos a verdade. A verdade é sempre atacada, é sempre atacada. Vivemos em um mundo moderno. A evolução realizou um ataque maciço à verdade, negando que seja necessário que haja uma causa para o efeito do universo. Que tipo de idiotice é essa?

Sempre que os gentios eram evangelizados no livro de Atos, sempre que os gentios precisavam ouvir sobre Deus, os pregadores lhes contavam sobre o Deus que criou tudo, Atos 14, Atos 17. Eles os levavam de volta à criação porque todos sabiam que tinha que haver. um criador. Ele tinha que ser poderoso, ele tinha que ser um designer, ele tinha que ser moral, porque havia moral no coração, mostrada nas leis que os homens faziam e nas estruturas dos relacionamentos. Esse Deus também era um Deus que tinha personalidade, porque a personalidade não pode sair da não-personalidade. E assim, ao evangelizar os gentios, você começou com o Criador, como Paulo fez em Mars Hill. Ao evangelizar judeus, você começou com o Antigo Testamento.

Para os gentios era a revelação geral de Deus, para os judeus era a revelação especial de Deus. E agora, nossa sociedade conseguiu eliminar a necessidade de um Criador com a teoria da evolução e depreciar a autenticidade das Escrituras. E mesmo na igreja hoje existe uma corrida louca para remover as Escrituras porque as pessoas não querem ouvir. Mas a verdade está aí.

Está na consciência, está na razão que leva você a Deus e está na revelação das Escrituras. Os pecadores não têm desculpa, porque aquilo que é conhecido sobre Deus é evidente dentro deles, pois Deus tornou evidente para eles ao criá-los da maneira que Ele fez. E assim, olhando para a criação, você vê Seus atributos invisíveis, poder eterno, natureza divina claramente e você não tem desculpa. Revelação, essa é a primeira coisa. Deus se revelou ao homem. Os homens receberam a verdade. Neste país, até a verdade bíblica.

Segunda palavra nesta progressão, rejeição. Os homens se afastaram da verdade. Versículo 21: “Embora conhecessem a Deus, não o honraram como Deus nem deram graças, mas tornaram-se inúteis em suas especulações, e seu coração tolo ficou obscurecido.” E, embora o homem encontre Deus em razão, ele o rejeita; ele encontra Deus na lei moral e na consciência, ele O rejeita; é exposto à verdade de Deus nas Escrituras, ele rejeita. Ele suprime a verdade sob suas iniqüidades porque ama mais as trevas do que a luz. E ele mergulha para baixo, acreditando que pode viver sua vida da maneira que quiser, sem nenhuma conseqüência. E deixando-se, portanto, sob julgamento divino do tipo mais severo.

E assim olhamos para uma sociedade hoje, particularmente aqui na América e no mundo ocidental, tão incrivelmente influenciada pelo evangelho, e vemos pessoas que não honram a Deus. Volte ao versículo 21. Eles não O honram como Deus, não dão graças. ”Isto é, eles não lhe agradecem por serem a fonte de tudo o que têm. O problema do homem não é que ele não pode encontrar Deus, o problema do homem não é que ele não pode reconhecer Deus, o problema do homem não é que ele não consegue encontrar a verdade ou reconhecer a verdade. É que ele não vai. E voltamos a João 3 novamente: “Eles amam mais as trevas do que a luz, porque suas ações são más.” Eles não querem honrar a Deus. Honrar a Deus faria com que eles prestassem contas a Ele e à Sua lei e, portanto, sob Seu julgamento. O homem prefere viver sem Deus em vista.

Eu estava pensando nisso há alguns anos e pensei que o homem gosta de viver com cinco mentiras dominantes. Estes são muito confortáveis para o pecador. Primeiro, a vida é aleatória, a vida é aleatória. Somos todos produtos do acaso evolutivo, sem propósito, sem criador, sem responsabilidade. Basicamente, vivemos em um universo onde a fórmula final é que ninguém vezes nada é igual a tudo. Ninguém está no comando, ninguém nos coloca aqui. Não prestamos contas a ninguém. “Uma pedra é um rato é um cachorro é um menino” era o mantra de uma organização. Ninguém nos criou, não temos motivos e é por isso que somos livres neste mundo aleatório para fazer o que queremos.

A segunda mentira dominante. A verdade é relativa. Sem absolutos, sem padrões, você apenas precisa fluir em algum lugar da opinião pública. Mas você pode mudar a opinião pública, como sabemos. A ética pode ser mudada se você tiver influência, poder e persistência suficientes, mas não há verdade absoluta. Todos somos livres para possuir nossa própria verdade e exigimos a liberdade de viver nossas vidas de acordo com nossa própria verdade, que é de nossa própria invenção.

Uma terceira mentira dominante é que as pessoas são basicamente boas. Oh, se eles vão mal, alguém os abusou, alguém é o culpado. Eles não têm auto-estima, têm problemas psicológicos com base em falhas ambientais. Mas as pessoas são basicamente boas. Eu sou basicamente bom, sou uma boa pessoa. Você os ouve dizer isso o tempo todo.

Uma quarta mentira que domina nossa cultura é que todos podem mudar sua própria vida, assumir o controle, assumir o controle, tornar-se a pessoa que você deseja ser. Você tem o poder de ser o que quiser. Essa é a maior mentira de todas. Você pode ser tudo o que você quer ser. As pessoas dizem aos filhos: “Você pode ser o que quiser.” Deixe-me dizer que, se você for lento, morrerá lentamente. Se você é burro, você morre de burro. Se você não pode tocar uma música em um balde, você morrerá sem carregar uma música em um balde. Há certas coisas que você nunca pode mudar. Você não pode fazer o que quiser, isso é ridículo. Mas isso se encaixa no mantra desse tipo maníaco de liberdade em uma cultura saturada pelo pecado.

E a quinta e dominante mentira é o objetivo da vida é a satisfação pessoal. O objetivo da vida é auto-satisfação. Você realmente está se sentindo bem consigo mesmo, satisfeito com quem você é. Você ouve as pessoas dizerem: “Este é quem eu sou, pegue ou largue e sou feliz quem sou. Este sou eu e estou lá fora. “E você quer dizer:” Bem, desejamos que você não estivesse, apenas vá para outro lugar “.

É apenas esse tipo flagrante de auto-ilusão impetuosa. A vida é aleatória, a verdade é relativa, as pessoas são basicamente boas, todos podem mudar sua própria vida, se assim o desejar, e o objetivo da vida é a satisfação pessoal. A verdade é oposta a isso. A verdade é oposta a isso. Deus é soberano e nada é aleatório. A Bíblia é verdade absoluta. Todas as pessoas são basicamente pecadoras. Somente Cristo pode mudar sua vida. E submissão altruísta a Jesus Cristo é o objetivo da vida. Eles entenderam completamente errado.

E então, por que eles honrariam um Deus que negam? Por que eles Lhe agradeceriam? Eles acham que conseguiram tudo sozinhos. Eles podem olhar para a beleza deste mundo com todas as coisas boas que Deus colocou nele por Sua graça comum e não podem agradecê-Lo por um pôr do sol, por amor, por crianças, por um bebê, por uma boa refeição, para férias, descanso, sono, uma cadeira confortável. Eles não podem agradecer a Ele, porque então eles reconheceriam que Ele é a fonte.

É como Isaiah. Ele escreveu sobre seu próprio tempo: “Você se sentiu seguro em sua maldade e disse que ninguém me vê. Sua sabedoria e seu conhecimento o iludiram, pois você disse em seu coração: eu sou e não há ninguém além de mim. ”Esse é o mantra americano moderno. “Eu sou” – o Invictus – “Eu sou o capitão da minha alma.” Vazio, inútil egocentrismo e nesse vazio egocentrismo são sugados trevas mais profundas.

Volte ao versículo 21, porque “apesar de conhecerem a Deus, não O honraram como Deus ou deram graças.” – e estamos falando coletivamente sobre uma sociedade aqui – “Mas eles ficaram vazios em suas especulações.” Fútil, vazio , idéias humanas, inúteis. E como eu disse, nesse vácuo é sugada a escuridão. E o final do versículo 21 diz: “Seu coração tolo foi escurecido”. Eles não sabiam e agora não podiam saber. A escuridão dominou. A luz se apagou. As trevas intelectuais e as trevas morais se transformam em trevas espirituais, trevas mortais.

A ira veio por causa da revelação e vem repetidas vezes e repetidamente para as sociedades ao longo de toda a história humana, porque elas não reconhecerão a Deus que se revelou. E assim você tem revelação seguida de rejeição. E quando chega a rejeição, a luz se apaga, a escuridão vem. E um terceiro passo segue, racionalização, racionalização. Isso, se não fosse tão triste, seria engraçado, versículo 22, “professando ser sábio, eles se tornaram tolos”. A idiotice do versículo 21 é exacerbada no versículo 22. A escuridão deles é tão profunda que eles não podem avaliar sua verdadeira condição. Então eles professam ser sábios.

Isso me lembra a senhora que foi ao psiquiatra. Ela tinha um pato na coleira. E o médico disse: “Como posso ajudá-la, senhora?” Ela disse: “Não sou eu, meu marido, ele é o único, ele pensa que é um pato.” Isso colocaria em dúvida sua percepção da realidade. isso não? É como o cara deitado no hospital psiquiátrico na cama, dizendo: “Eu sou Napoleão, sou Napoleão, sou Napoleão.” E o cara na cama ao lado disse: “Não, você não é, não você não é. – Como você sabe? – Eu sou Deus.

Você diz: “Isso é ridículo. Isso não é mais ridículo, não é mais absurdo, não é mais bizarro do que se fazer um doutorado quando você é um tolo, parabenizando-se por sua sabedoria e conhecimento e insight e conquista, quando seu coração está preto e fechado completamente do conhecimento verdadeiro.

Religião. Esta é a gota d’água. Amém.

Quão insano é isso?

existe alguma esperança? Para nós?

Não é tão tarde.

Amém.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s