A terrível realidade dos últimos dias (Marcos 13 por John MacArthur)

Apesar do fato de que viver neste mundo tem sua bem-aventurança e sua bênção, e apesar do fato de que nosso mundo, nosso planeta, carrega as marcas da criação divina, e a benevolência de Deus está na própria estrutura da vida neste planeta, apesar de que riquezas nos são fornecidas e provisões são fornecidas , o avesso de todas essas provisões nos coloca em perigo realmente iminente. 

Podemos ser mortos por doenças, podemos ser envenenados em nossa comida, podemos ser irradiados para a morte – todas essas coisas são o reverso das bênçãos.

Nós criamos civilizações, criamos safras, criamos represas para represar a água, aproveitamos todos os recursos do mundo e, ainda assim, temos que fazer tudo o que pudermos para criar a prevenção daquelas mesmas coisas que nos estão destruindo. É um lugar muito perigoso para se viver; o desastre está ao nosso redor, a guerra e a morte estão sempre presentes de uma infinidade de maneiras. 

A propósito, isso não é surpresa para ninguém que entende a Bíblia. A história humana não é nenhuma surpresa para Deus, e não é nenhuma surpresa para nosso Senhor Jesus.

Se você for ao capítulo 13 de Marcos, vamos encontrar Jesus no último dia de Seu ministério público em Jerusalém, quarta-feira da semana da paixão. Na quinta-feira, Ele se preparará para celebrar a Páscoa com Seus discípulos; na sexta-feira, Ele será crucificado; no domingo, Ele ressuscitará dos mortos. Mas aqui, neste último dia de ministério público, Ele encerrou aquele ministério público, e agora está falando com Seus discípulos – a partir do versículo 43 no capítulo 12, Ele chama Seus discípulos a Ele – e pelo restante de hoje e no dia seguinte, Ele se concentra em falar com eles.

Nesta parte que é registrada para nós por Mateus em Mateus 24 e 25, e também por Lucas, como vimos recentemente em Lucas 21, Ele dá uma imagem da história por vir

Isso é profético, é preditivo; e será muito familiar para você, porque é exatamente assim que a história foi. 

Agora, isso será um choque para os discípulos – será o choque de todos os choques para eles, o que nosso Senhor diz – porque eles estão antecipando o reino; afinal, o rei chegou.

Eles estão convencidos de que Jesus é o Filho de Deus, que Ele é o Messias e que Ele estabelecerá Seu reino; eles acreditam que estão prestes a experimentar o estabelecimento daquele reino glorioso. Eles estão familiarizados, por exemplo, com Isaías 9 , que o governo estará sobre Seus ombros – que Ele literalmente assumirá o governo, não apenas de Israel, mas do mundo. Eles estão familiarizados com Zacarias 14 , que descreve em detalhes como o futuro messias estabelecerá Seu governo no mundo.

Eles estão familiarizados com cada promessa do Antigo Testamento que ansiava por esse reino. O Messias deve vir, estabelecer o reino, destruir todos os inimigos de Deus, destruir todos os inimigos de Israel, restaurar a glória de Jerusalém, reunir os judeus na terra, estabelecer Seu reino ali e, desse ponto de vista, governar o mundo. Israel então seria a nação favorecida do planeta; a justiça, a paz, o conhecimento e a verdade encheriam a Terra, e a vida como era não existiria mais.

Jesus é claramente o messias, anunciado por João Batista, validado por milagres e pelo ensino da verdade. Ele entrou em Jerusalém naquela segunda-feira da mesma semana que estamos vendo agora e recebeu uma recepção messiânica apropriada. Tudo parecia estar de acordo com o planejado e então alguém apertou o botão de pausa e ainda estamos no modo de pausa – o que parecia iminente parou. 

Então, a pergunta vem dos discípulos nesta passagem, quando o reino virá?

Eles agora sabem que ao invés de falar sobre um reino, Jesus tem falado sobre Sua morte, especificamente – “Os principais sacerdotes e os líderes de Israel me prenderão, me baterão, zombarão de mim e me crucificarei, e eu irei subir novamente. ” – eles ouviram isso repetidamente. Olhando além disso, eles presumem que, se for esse o caso, quando Ele ressuscitar, Ele estabelecerá imediatamente Seu reino – é isso que eles esperam – é essa expectativa que está por trás de Suas palavras no capítulo 13. Vamos dar uma olhada neles.

Para que você tenha uma visão completa, leia o capítulo 13 de Marcos em sua Bíblia ou neste link.

Reinos contra reinos, nações contra nações, terremotos em vários lugares, vários tipos de fome, perseguição – perseguição extensa, dos judeus, dos gentios, em famílias. Eventos específicos começam no versículo 14 – a abominação da desolação, o tempo da tribulação – e só depois disso virá o sinal da volta do Senhor Jesus. 

Portanto, nosso Senhor esclarece a questão de Seu retorno e estabelecimento do reino, dizendo que o tempo passará.

Esse tempo manifestará as mesmas condições desastrosas que têm feito parte da vida neste planeta desde a queda do homem – guerras e desastres e desordens e angústia – e continuará por um longo período de tempo. Os crentes serão submetidos à perseguição e até ao martírio; falsos cristos, falsos profetas, encherão a história com seu engano antes que Ele venha. Assim, entre a primeira vinda de nosso Senhor e a segunda vinda, a história será marcada por problemas implacáveis ​​- problemas que irão eventualmente aumentar no período da tribulação, como é chamado aqui – os poucos anos finais da história humana, em problema esse que atinge proporções absolutamente épicas.

Se você quebrar essa passagem – você pode quebrá-la de várias maneiras – os dois primeiros versículos falam sobre a destruição do templo; e então os versículos 3 a 13 falam sobre a história presente; e então os versículos 14 a 23 falam sobre o futuro tempo específico da tribulação; e, a partir do versículo 24, fala de Sua segunda vinda. Portanto, entre a primeira e a segunda vinda, a vida neste planeta será marcada por problemas implacáveis. Esse período geral de tempo e os problemas que farão parte desse período são descritos nos versículos 5 a 13 especificamente, e veremos isso em um momento.

Deixe-me apenas adicionar uma nota de rodapé aqui – esta é outra evidência da divindade de nosso Senhor, porque as coisas que Ele disse que seriam verdadeiras são, de fato, verdadeiras. Ele previu a destruição do templo nos versos 1 e 2, e ele foi destruído em 70 DC. Ele previu que nenhuma pedra estaria sobre a outra, e foi exatamente isso o que aconteceu em 70 DC e nunca foi reconstruído. Ele previu a natureza da vida em um planeta corrupto e amaldiçoado, e tudo o que Ele disse é verdade; e se você deseja obter tudo o que Ele disse, coloque o relato de Mateus, Marcos e Lucas juntos e obtenha o quadro completo de como é a vida neste planeta.

Todas as coisas que Ele disse que aconteceriam, aconteceram e são muito familiares a todos nós. Concluímos disso – e isso é algo importante de se ouvir – a Bíblia sempre corresponde perfeitamente à realidade

Quando a Bíblia diz que algo será de uma certa maneira, é exatamente assim que será; será o que a Escritura diz que será, tanto em termos gerais quanto em termos absolutamente específicos. 

Você tem um evento específico em 70 DC que cumpre as palavras de nosso Senhor e cumpre o que as Escrituras registram.

E você tem a descrição muito geral do tempo entre as duas vindas de Cristo que obviamente sabemos que é a maneira como a vida realmente é, e no futuro tempo de tribulação, as coisas muito específicas mencionadas lá sobre a abominação da desolação e o fim da naquele período, o sinal no céu da volta de Jesus Cristo. 

Tudo será exatamente da maneira que a Escritura diz que será porque qualquer exame da história e comparação da história com o que a Escritura diz sempre valida a Escritura.

Deixe-me repetir: a Bíblia sempre corresponde perfeitamente à realidade; tudo o que a Bíblia diz sobre a criação está de acordo com a realidade; tudo o que diz sobre Deus está de acordo com a realidade; tudo o que diz sobre o homem está de acordo com a realidade; tudo o que diz sobre a história é como realmente é e não pode ser negado. Agora, ao olharmos para os versículos – começaremos no versículo 1 e desceremos para o versículo 13 – eu só quero destacar alguns pontos.

Em primeiro lugar, nosso Senhor prediz a destruição – versículos 1 e 2. “Ao sair do templo, um dos Seus discípulos disse-lhe: ‘Mestre, eis que pedras maravilhosas e que edifícios maravilhosos!’” – comentando sobre o templo, onde Jesus havia ensinado todos os dias daquela semana. “E Jesus disse-lhe: ‘Vês estes grandes edifícios? Nenhuma pedra será deixada sobre outra que não seja derrubada. ‘”

Agora, lembramos a experiência familiar que nosso Senhor teve no templo. Ele basicamente vem ao templo na segunda-feira, após Sua entrada triunfal; Ele retorna ao templo na terça-feira, e expulsa todos os compradores e vendedores, todos os ladrões que ocuparam aquele lugar; então Ele volta na quarta-feira e ocupa aquele templo o dia inteiro na quarta-feira; e por um dia no meio de centenas de anos de história, aquele lugar está proclamando a verdade – para uma mudança – porque a própria Verdade está dando aula no templo.

No final do dia, Ele sai do templo – indo para o leste, porque Ele estava com Seus amigos, Maria, Marta e Lázaro, que viviam no lado leste do portão do templo, o portão leste, acima da ponta do Monte das Oliveiras ao leste, descendo para a pequena vila de Betânia, a alguns quilômetros de distância. Assim, ao saírem do templo no final do dia, ao entardecer, rumo a Betânia, um dos discípulos olha – talvez todos estivessem olhando para a beleza e maravilha deste incrível templo – como eu disse a vocês isso manhã, foi coberto com ouro.

Era um edifício enorme – estava sendo construído literalmente há décadas – quando foi destruído, já estava em construção havia oitenta anos. Foi um enorme monumento ao brilhantismo arquitetônico e gênio de Herodes, bem como ao seu desejo de demonstrar o quão rico ele era, revestido de ouro e coberto com oferendas votivas de todos os tipos, que demonstrou os ricos presentes que foram dados para adicionar para a beleza do edifício.

De manhã, quando você subia ao topo do Monte das Oliveiras, não conseguia nem olhar para o prédio, porque o sol da manhã refletido no ouro cegaria; à noite, sua glória era apenas ligeiramente diminuída – talvez a construção mais impressionante do mundo antigo. Eles estão impressionados – “Que pedras maravilhosas e que conjunto de edifícios maravilhoso!” Mas Jesus responde dizendo: “Não ficará pedra sobre pedra que não seja derrubada”.

Você sabe, os discípulos estão totalmente cientes da apostasia do lugar. Eles estão totalmente cientes da corrupção, porque eles sabem o que Jesus fez ali duas vezes – uma vez no início de Seu ministério em João 2 , e uma vez na terça desta semana, Ele fez essencialmente a mesma coisa – eles estão cientes de a corrupção do sistema religioso de Israel. Eles foram os inimigos de Jesus durante todo o Seu ministério e, portanto, foram os inimigos de Seus seguidores, Seus apóstolos e Seus discípulos.

Há uma porção interessante da Escritura em Lucas 19 que talvez deva ser observada neste momento, em Lucas capítulo 19 e versículo 40 – familiar – Jesus disse: “Eu vos digo, se estes silenciarem” – e Ele está se referindo às pessoas que estavam dizendo , “BEM-AVENTURADO O REI QUE VEM EM NOME DO SENHOR; Paz no céu e glória nas alturas! ” – eles estavam saudando a Cristo. Jesus responde porque os fariseus reagiram – “os fariseus no meio da multidão lhe disseram: ‘Mestre, repreende os teus discípulos” – “eles não deveriam estar dizendo isso. Eles não deveriam saudá-lo como o rei. ”

“Mas Jesus respondeu: ‘Digo-vos que, se estes silenciarem, as pedras clamarão!’ – ‘em testemunho a Mim’ ”. Que pedras; que pedras? O próximo versículo: “Quando Ele se aproximou de Jerusalém, Ele viu a cidade e chorou sobre ela.” Então Ele disse no versículo 43: “Os dias virão sobre você em que seus inimigos levantarão uma barricada contra você, e o cercarão e o cercarão de todos os lados, e o nivelarão por terra e seus filhos dentro de você, e não deixarão em ti pedra sobre pedra, porque não reconheceste o tempo da tua visitação. ”

E foi nesse ponto que Ele entrou no templo naquela terça-feira para purificá-lo. Que pedras clamariam em testemunho de Jesus? Vou te dizer: as pedras de que o templo era feito. As pedras que clamariam seriam as pedras caídas em escombros, deixadas pelo julgamento de Deus. Toda aquela beleza que aqueles homens viram ao partirem era um símbolo da religião apóstata corrupta. “A casa de Israel”, disse Jesus, em Mateus 23:38 e 39, “É deixado desolado!” A taça da fúria de Deus está cheia; está tudo descendo, e em 70 DC foi exatamente o que aconteceu.

Então, a primeira coisa que Ele prevê é a destruição – a destruição daquele templo – e como todos sabemos, a história registra que foi exatamente o que aconteceu. Naquele momento, chegamos ao versículo 3. Eles estão alcançando agora o Monte das Oliveiras, e estão sentados lá, em frente ao templo – “Como Ele estava sentado no Monte das Oliveiras em frente ao templo” – eles ainda estão olhando para aquilo construção. Nosso Senhor está olhando com uma mistura de raiva – cólera sagrada – e tristeza, porque, você se lembra, acabei de ler que Ele chorou pela cidade de Jerusalém; que Ele disse: “Quantas vezes eu teria te reunido, mas você não.”

Eles têm um ponto de vista perfeito sentado no Monte das Oliveiras; se você está sentado no Monte das Oliveiras ainda hoje e olha diretamente para o oeste, verá a parede do templo, o terreno do templo. Eles teriam visto o próprio templo erguendo-se acima daquela parede oriental. Quando eles se sentam e olham, tendo acabado de ouvir dos lábios de Cristo que tudo vai desabar, seu olhar deve ter sido até intensificado. Pedro, Tiago, João e André, meio que o círculo interno – Pedro, Tiago, João e André, dois grupos de irmãos que faziam parte do grupo mais íntimo que estava ao redor de Jesus – eles O questionaram em particular.

E esta é a pergunta deles no versículo 4:

“Diga-nos, quando serão essas coisas, e qual será o sinal de quando todas essas coisas vão se cumprir?” 

Eles querem saber quando o fim do judaísmo apóstata está chegando, mas eles também querem saber quando o estabelecimento do reino messiânico divino está chegando. Na verdade, a questão é maior do que a destruição do templo, porque em Mateus 24: 3, Mateus registra que eles perguntaram sobre a chegada do fim dos tempos; a chegada do fim dos tempos, e o sinal do fim dos tempos – e até mesmo a palavra vinda significa presença.

Quando haverá a presença divina, o fim desta era – o fim desta era, se você quiser, da apostasia e do cumprimento de todas as promessas do reino – quando isso acontecerá? E eles ainda estão fazendo essa pergunta 40 dias após a ressurreição, porque em Atos capítulo 1, depois de 40 dias sendo instruídos por Jesus, eles ainda fazem a pergunta: “Você restaurará neste tempo o reino a Israel?” Eles pensam que talvez tudo o que aconteceria seriam 40 dias de guerras, rumores de guerras, nação contra nação, reino contra reino e terremotos, fomes, etc., etc.

Mas nosso Senhor dá a eles nesta passagem das Escrituras a resposta completa – na verdade, esta é a resposta mais longa registrada nas Escrituras para qualquer pergunta feita a nosso Senhor – e é muito importante para nós entendermos o futuro. Agora, apenas uma nota no momento aqui – nosso Senhor é claramente pessimista. Tem gente que acha que o mundo vai melhorar; eles têm um rótulo, são chamados de pós-milenistas. Essa visão diz que o mundo vai ficar cada vez melhor e melhor e vai direto para o reino milenar, e Cristo virá no fim do reino milenar.

O reino milenar será o produto dos esforços da igreja e dos redimidos no mundo; eles produzirão um mundo melhor; eles assumem as instituições do homem e produzem um mundo melhor; eles produzem o reino e o dão a Cristo. Bem, eu prometo a você uma coisa: Jesus não era um pós-milenista. Ele certamente não acreditava que as coisas iriam ficar cada vez melhores – esta é uma visão longa e pessimista da história. Ele não diz quando – na verdade, Ele diz: “Ninguém sabe, nem mesmo o Filho do Homem, apenas o Pai” – mas Ele define a natureza da experiência humana enquanto a história aguarda Seu retorno.

Enquanto a história espera por Ele voltar, haverá uma enxurrada de falsos cristos, falsos messias, falsos mestres, falsos profetas, guerras, desastres, perseguição – por toda a história humana e ficando cada vez pior e pior – e no final , a explosão desse tipo de coisa atingirá proporções de época descritas em Apocalipse 6 a 19, em um período de sete anos denominado tempo de tribulação. Mesmo a última metade disso é um tempo de grande tribulação, os últimos três anos e meio sendo os piores de todos.

Essas profecias não descrevem 70 DC – isso é impossível – e ainda assim existem pessoas chamadas preteristas, que dizem que tudo o que nosso Senhor predisse aqui aconteceu em 70 DC, ou por volta de 70 DC. Essa é uma interpretação impossível, com certeza, e não há necessidade disso – você pode aceitar as Escrituras pelo valor de face – e, a propósito, isso se encaixa em uma compreensão essencial da divindade de nosso Senhor; ele valida Sua divindade por ser absolutamente preciso. Outra coisa a dizer é que a segunda vinda não é uma doutrina opcional, a segunda vinda não é uma doutrina para se divertir; não é uma doutrina na qual você tem a liberdade de ter qualquer ponto de vista que quiser.

O Senhor disse algo, não tudo. Sei que hoje é comum mudar de opinião sobre a segunda vinda. Há apenas uma visão bíblica, e há apenas uma compreensão precisa da segunda vinda, e essa é a compreensão da segunda vinda que é produzida por uma explicação histórica, gramatical e contextual – o significado do texto pelas mesmas regras que você interpreta tudo outro. Abordei muito disso no livro que escrevi chamado The Second Coming. A igreja vive na expectativa da volta de Cristo.

As coisas que foram indicadas aqui estão acontecendo agora ao longo de toda a história humana – ainda não estamos na ABOMINAÇÃO DA DESOLAÇÃO, o tempo da tribulação, o tempo da grande tribulação ou o retorno de Jesus Cristo. É impossível colocar essas coisas no evento de 70 DC, ou qualquer outro evento no passado – então, o Senhor então começa com a destruição imediata do templo – e Ele foi absolutamente preciso sobre isso, como toda a Escritura é, obviamente, absolutamente preciso.

A segunda coisa sobre a qual Ele fala ao discutir esse período de tempo é que ele será marcado pelo engano. A primeira coisa é a destruição do templo, e depois o engano, sendo esta uma realidade geral; entre a hora que Ele partir e a hora que Ele voltar, o mundo estará sujeito a engano implacável por fraudes espirituais – versículo 5: “Jesus disse” – este é o início de Sua resposta – “’Cuide para que ninguém os engane. ‘”Para começar, quando você começar a examinar o futuro, certifique-se de não se conectar com pessoas que o estão informando erroneamente.

Se você quer um nome, fique longe de Nostradamus e da laia que segue esse gênero em particular. Não siga enganadores; haverá muitos. Falsos mestres, falsos profetas, falsos cristos preencherão os séculos e farão falsas profecias sobre todos os tipos de coisas – não se engane, não se deixe enganar.

Como você evita ser enganado? Permanecendo fiel às Escrituras. 

Agora, essas pessoas que vêm e querem convencê-los, alguns deles vão até mesmo ser tão ousados ​​a ponto de se reconhecerem como Cristo – versículo 6: “Muitos virão em Meu nome dizendo: ‘Eu sou Ele,’ e enganarão muitos.” Haverá figuras de Cristo; o tipo bizarro – como Charles Manson e o líder do People’s Temple, Jones – são simplesmente ilustrações da miríade desses falsos Cristos, essas pessoas que afirmam ser Jesus. Eles continuarão a enganar; todos eles terão seguidores que os seguirão, em muitos casos, até a morte.

Vá para o versículo 22 – você me ouviu ler isto – “falsos cristos, falsos profetas surgirão, mostrarão sinais e maravilhas, a fim de enganar, se possível, os eleitos”. Eles não podem desviar os eleitos, mas levarão aqueles que não são verdadeiros crentes a segui-los. Eu quero apenas falar sobre isso por um momento, de uma forma que talvez seja interessante para você. Sempre há falsos profetas, sempre falsos mestres – sabemos disso – sempre pessoas que afirmam ser Jesus, afirmam ser Jesus Cristo – alguns mais notáveis ​​do que outros.

Mas quando você chega ao fim da história humana, e você entra no período de tempo chamado de tribulação, há um cumprimento específico desta profecia que eu quero que você entenda, e tem a ver com o Islã. A maioria das pessoas pensa no Islã como uma religião totalmente distinta do Cristianismo, sem nenhuma conexão com o Cristianismo, certo? Pensaríamos que se alguém é muçulmano, eles – eles não têm absolutamente nenhuma conexão com o Cristianismo – e existem muitas religiões que não têm nenhuma conexão com o Cristianismo.

O hinduísmo não tem conexão com o cristianismo, o budismo não tem conexão com o cristianismo, muitos outros não têm conexão. É incrível como muitos se conectam, porque Satanás quer falsificar, enganar e chegar o mais perto possível da verdade. Na verdade, existem pessoas evangélicas confessadas que pensam que os muçulmanos não apenas acreditam em Deus – porque são monoteístas, acreditam em um Deus – mas que pensam que os muçulmanos estão bem, porque realmente acreditam em Jesus – e, a propósito, eles acreditam.

Brian McClaren – um escritor herege emergente da igreja – em seu livro A Mensagem Secreta de Jesus diz, e eu cito: “Todos os muçulmanos consideram Jesus como um grande profeta. Uma reavaliação compartilhada da mensagem de Jesus poderia fornecer uma base comum para o diálogo religioso urgentemente necessário. Essa reavaliação de Jesus pode ser nossa única maneira de salvar várias religiões, incluindo o Cristianismo ”, final da citação. Então, se queremos salvar o Cristianismo e salvar outras religiões, precisamos nos reunir todos, e isso deve ser fácil para nós, porque podemos começar pelos muçulmanos, porque eles já acreditam em Jesus.

Um orador e autor popular, Tony Campolo, diz, cita: “Quando ouvimos os místicos muçulmanos enquanto falam sobre Jesus e seu amor por Jesus, devo dizer que está muito mais próximo do Cristianismo do Novo Testamento do que muitos cristãos.” Realmente. Então, você acha que o Jesus muçulmano é o mesmo Jesus? Posso ajudá-lo com isso, porque eles descrevem Jesus; o Jesus muçulmano desempenha um papel crucial na escatologia islâmica. Agora, você sabe que os muçulmanos têm uma escatologia – em outras palavras, eles têm uma teologia do fim.

Eles sabem para onde estão indo, de acordo com seus escritos; eles sabem para onde estão indo. Deixe-me descrever o Jesus muçulmano para você – isso está em seus próprios escritos, o Alcorão e a Sunnah. O Alcorão é supostamente a palavra de Alá – na verdade, a palavra de Satanás, mas eles acham que é a palavra de Alá; a Sunnah – a Sunnah são as palavras e as obras de Maomé. O Alcorão, então, constitui sua sagrada Escritura, e a Sunnah – às vezes chamada de Hadith – constitui sua sagrada tradição.

A teologia deles vem do Alcorão e da Sunnah – assim como a teologia católica romana vem da Bíblia e da tradição, ou o Judaísmo vem do Antigo Testamento e da tradição rabínica, os muçulmanos têm duas fontes de verdade confiável. Em seu sistema, eles têm Jesus. Jesus era um homem; ele não era Deus. Ele não morreu; ele foi para o céu como Elias. Ele não morreu; portanto, ele não se levantou. Ele não morreu; portanto, ele não providenciou expiação por ninguém, porque ninguém pode fazer expiação por outra pessoa.

Ele é um homem, ele é um profeta, ele não é mais nada. Ele foi para o céu como Elias, e está no céu agora, ao lado de Allah, esperando que Allah o mande de volta. Em seu sistema, este homem, este profeta Jesus, que agora está no céu, nunca tendo morrido, desempenha um papel fundamental no fim dos tempos, porque ele voltará do céu sem morrer; ele vai voltar quando Allah o mandar de volta. Agora, a pergunta a ser feita é: por que Allah quer enviar Jesus de volta? Ele tem muitos profetas para escolher; por que ele manda Jesus de volta?

Resposta: para que quando ele aparecer, ele possa corrigir todos os cristãos, que não entenderam quem ele é. As fontes para isso, novamente, o Alcorão e a Sunnah. O grande evento da vinda de Cristo, ou vinda de Jesus, é para que esse profeta, esse homem, que volta, possa endireitar os cristãos mal orientados, mal orientados e mal-entendidos, que pensam que Ele era Deus que morreu e ressuscitou e providenciou expiação – ele voltará e endireitará tudo – e a propósito, depois que ele chegar aqui, ele se casará, terá filhos, morrerá e será enterrado ao lado de Maomé – esse é o Jesus muçulmano.

Na escatologia islâmica, existem três grandes sinais do fim da história; três grandes sinais. Existem alguns sinais menores, ou alguns sinais menores e alguns sinais principais. Em sua escatologia – novamente, citando exclusivamente suas fontes – existem três grandes sinais do fim da história, e cada um deles é um homem. Deixe-me falar sobre esses três homens. Em primeiro lugar, o primeiro homem que virá no final da história é o Mahdi – MAHDI – às vezes ele é chamado de Décimo Segundo Imam.

Cada vez que Ahmadinejad no Irã faz um discurso, ele diz, “Glória ao Mahdi” – “glória ao Décimo Segundo Imam” – todas as vezes; ele está esperando a vinda do Mahdi. O que ele está vindo fazer? Ele está vindo – ouça com atenção – para massacrar todos os que não adorarem Alá, se converterem ao Islã – eles são identificados em seus escritos como porcos e cães – e para estabelecer o reino eterno do Islã, que domina o mundo – é isso que ele fará.

O Mahdi, ou o décimo segundo Imam – que significa o guiado – é o salvador tão esperado; ele é o criador do califado final, e o mundo deve segui-lo quando ele assumir o controle, ou ele destruirá todos os inimigos do Islã. Ele virá e fará uma guerra santa, e ou você se converterá ou será morto pelo Mahdi. Ele terá um exército. Seu exército será um exército enorme, e seu exército irá de nação em nação para punir os incrédulos. As escrituras sagradas do Islã dizem que este exército carregará bandeiras negras, e nessas bandeiras haverá uma palavra, e essa palavra será a palavra punição.

A propósito, o exército iraniano hoje carrega bandeiras negras; eles querem estar prontos para a vinda do Mahdi. Ele liderará o exército de bandeiras negras primeiro para Israel, massacrará todos os judeus e então estabelecerá seu governo em Jerusalém no monte do templo – é o que dizem as publicações deles – massacrará os judeus, estabelecerá seu governo no monte do templo. De acordo com seus escritos sagrados, o Mahdi trará chuva, vento, safras, riqueza e felicidade, para que todos o amem e ninguém fale de ninguém além dele.

Seus escritos dizem que o Mahdi virá e fará – a princípio – um acordo de paz com os judeus e o Ocidente por sete anos; o reinado de Mahdi dura sete anos, nos quais ele estabelece o Islã na terra. Seus escritos sagrados dizem o seguinte: o Mahdi virá montado em um cavalo branco – e até diz em seus escritos: “Como diz em Apocalipse 6: 1 e 2. ” Saddam Hussein, aliás, pintou murais deste Mahdi em um cavalo branco por toda Bagdá – e ele vem carregando uma espada para matar os infiéis.

Quando o Mahdi chegar, ele descobrirá escrituras ocultas – ele as descobrirá, curiosamente, em algum lugar perto do Mar da Galiléia – e haverá escrituras ocultas, evangelhos ocultos e uma Torá oculta, e serão as verdadeiras escrituras, que será usado pelo Mahdi para mostrar aos judeus e cristãos que eles estavam errados – que suas escrituras eram as falsas escrituras. Deixe-me resumir: o Mahdi será uma figura messiânica. Ele será um descendente de Maomé. Ele será um líder incomparável e incomparável.

Ele sairá de uma crise turbulenta. Ele vai assumir o controle do mundo. Ele estabelecerá uma nova ordem mundial. Ele destruirá todos os que resistirem a ele. Ele vai invadir muitas nações. Ele fará um tratado de paz de sete anos com os judeus. Ele conquistará Israel e massacrará os judeus. Ele estabelecerá a sede mundial islâmica em Jerusalém. Ele governará por sete anos, estabelecerá o Islã como a única religião. Ele virá em um cavalo branco com poder sobrenatural. Ele será amado por todas as pessoas na terra.

Se isso parece familiar, é uma descrição precisa do Anticristo bíblico – absolutamente, passo a passo a passo – o Anticristo da Bíblia é o Mahdi deles. Sabemos que o cavaleiro do cavalo branco em Apocalipse 6 é o Anticristo; eles usam esse versículo para descrever seu Mahdi. Por que estou te dando tudo isso? Porque a descrição do Mahdi é exatamente a descrição do Anticristo bíblico, a besta de Apocalipse 13 ; e você fizer qualquer tipo de estudo sobre isso, e descobrirá que todos os detalhes combinam perfeitamente.

O Anticristo da Bíblia é o salvador do Islã e conquistador do mundo, que estabelece um reino islâmico universal – e há um segundo sinal, uma segunda pessoa, e é Jesus. O Mahdi não é Jesus; O Mahdi é maior do que Jesus – e isso é importante para o sistema deles, porque se você tem alguém maior do que Jesus, então os cristãos estavam errados – então, Jesus retornará. Sim, os muçulmanos acreditam que Jesus voltará; eles acreditam no retorno de Jesus – não o verdadeiro Jesus, o Jesus do Islã – não Deus, não morreu, não ressuscitou, não forneceu um sacrifício pelo pecado, mas ele retorna.

Ele é um profeta, e ele volta, e ele tem um propósito quando ele volta, que é ajudar e ajudar o Mahdi. Ele retorna – ouça isso – como um muçulmano radical; ele volta como um muçulmano radical – ele chegará, aliás, em um minarete perto de Damasco – e ele voltará segurando as asas de dois anjos, que o levaram para baixo para encontrar o exército reunido do Mahdi no leste, o exército das bandeiras negras. Jesus, quando ele voltar, irá orar ao Mahdi, que é maior do que ele. Ele reconhecerá o Mahdi como seu senhor. Ele fará uma peregrinação a Meca.

Ele irá adorar a Allah e, ​​assim, conduzirá todos os cristãos que o seguirem a rejeitar sua noção de Jesus e aceitar o verdadeiro Jesus, que nada mais é do que um profeta e um homem. Ele estabelecerá a lei Sharia mundial. Ele se tornará o maior evangelista muçulmano e será a testemunha final no dia do julgamento contra os não-muçulmanos. Cristãos em todos os lugares irão afirmar que eles estavam errados – que o evangelho está errado, o Novo Testamento está errado, Ele não morreu, Ele não ressuscitou, Ele não é Deus, Ele não é o Filho de Deus – ele mesmo vai voltar e apontar o quão errados estamos.

Ele corrigirá todas as interpretações e representações errôneas. Deixe-me citar o que sua literatura diz: “Ele quebrará cruzes” – isso é uma metáfora para a destruição da igreja, um símbolo do Cristianismo, sendo colocado na igreja. “Ele vai matar porcos. Ele abolirá o imposto sobre os não-muçulmanos porque não haverá nenhum não-muçulmano vivo – não pode taxar os mortos – e então fará mais uma coisa: matará o Anticristo islâmico; ele matará o anticristo islâmico.

“Então ele morrerá e será enterrado por Maomé, mas não até que destrua o Cristianismo, revelando quem ele realmente é.” Quem é? Você compara o que ele faz com o falso profeta no livro de Apocalipse – o capítulo 13, 16, 19, 20 refere-se à besta saindo da terra, o falso profeta – que auxilia e estimula o Anticristo. Ele é – como o Mahdi é a réplica exata do Anticristo, o profeta de Jesus no Islã é o paralelo exato do falso profeta, que ajuda e estimula o Anticristo.

Um de seus escritos diz que ele defende a causa do Mahdi. Ele é o carrasco do Mahdi, ele é o executor do Mahdi, ele é o profeta do Mahdi, e é ele quem mata o Anticristo. Isso me leva à terceira pessoa: o Anticristo aparecerá – os muçulmanos o chamam de Dajjal – ele é o grande enganador. Ele vem à Terra em uma mula e é cego de um olho. Ele é um infiel. Ele é um falso fazedor de milagres – esse Anticristo, esse Anticristo islâmico – mas você sabe quem ele afirma ser?

Ele afirma ser Jesus, o filho de Deus; ele afirma ser uma divindade. Ele tentará parar o Mahdi e o verdadeiro Jesus, mas o verdadeiro Jesus o matará. Esta é sua visão do verdadeiro Cristo; nosso Jesus é o seu anticristo; nosso anticristo é seu redentor. É uma falsificação satânica que está em completo reverso. “O exército” – esta é uma citação – “O exército de Satanás será liderado por uma pessoa que afirmará ser Jesus Cristo.” Haverá uma grande batalha. O Jesus muçulmano lutará contra o falso Jesus e o matará e estabelecerá o Islã para sempre.

A verdade é que o verdadeiro Jesus destruirá o Anticristo e o falso profeta e estabelecerá Seu reino para sempre. Esta é a completa falsificação de Satanás, a dominação do mundo muçulmano. Agora, alguém pode dizer: “Bem, você sabe, quando você pensa sobre o futuro e o que vai acontecer no mundo, não temos um Império Romano revivido? Isso não significa o Ocidente? ” Você se lembra que a imagem em Daniel 2 do império mundial final tinha duas pernas, e o Império Romano tinha o oeste e o leste?

Você sabe, é claro, se você conhece a história, que a parte ocidental do Império Romano basicamente se dissolveu, e o leste sobreviveu por mil anos ou mais, de modo que na época do Novo Testamento, sessenta por cento do Império Romano era terras que agora estão sob controle muçulmano – pelo menos 60%. A vasta maioria do Império Romano na época do Novo Testamento está hoje sob controle muçulmano, e o Islã está se movendo rapidamente pelo Ocidente na Europa, não é?

Quando você tem uma foto em Ezequiel 38 , você tem uma foto do Anticristo, Gogue, e você tem a lista de oito nações que serão uma coalizão para o Anticristo; todos os oito são nações muçulmanas, todos os oito, e circundam o Mediterrâneo, até a Líbia. No Apocalipse 17: 9a 11, diz que houve seis reinos e, em seguida, um sétimo e, finalmente, um oitavo. Qual é o sétimo? Bem, tem havido uma discussão sobre isso – pode muito bem ser o Império Turco Otomano, que durou quinhentos anos, e não caiu realmente até a era moderna.

O Império Turco foi o último califado – que terminou em 1923 – e eles estão esperando pela restauração quando o Mahdi chegar. Então, bem no final, alguém vai dizer: “Eu sou Jesus”. Alguém vai dizer: “Eu sou Jesus”. Em quem você vai acreditar? Essa é apenas uma forma desse engano que vai aparecer no final, e mesmo agora, está enganando as pessoas. Há todo um mundo de muçulmanos que pensam que Jesus é alguém que não é e, conseqüentemente, rejeitam o verdadeiro Jesus. “Não se iluda.”

Existe um mundo de muçulmanos enganados sobre a pessoa de Jesus Cristo. Você não pode acomodar isso dizendo: “Não é maravilhoso, eles amam Jesus” – eles não amam. Qualquer outro Jesus além do verdadeiro Jesus não é Jesus, e se você adora qualquer outro que não o verdadeiro Jesus, você está amaldiçoado. Então, destruição e engano. Talvez apenas alguns minutos após o desastre – versículos 7 e 8 – e isso é tão óbvio, o terceiro aspecto de olhar para o futuro: “Quando você ouvir falar de guerras e rumores de guerras, não tenha medo; essas coisas devem acontecer; mas isso ainda não é o fim.

“Pois nação se levantará contra nação, e reino contra reino” – esta é a história humana – guerras, guerras quentes e frias, entre nações e reinos têm sido uma realidade em todos os anos da história, e não estamos melhorando; não estamos evoluindo muito bem, estamos? Nosso Senhor previu com precisão que o mundo nunca conheceria a paz, nunca – nunca melhoraria moralmente, nunca melhoraria socialmente, nunca melhoraria espiritualmente – que ele preferiria devolver e devolver e tornar-se cada vez pior.

A propósito, até noventa e cinco por cento das sociedades ao longo da história se envolveram na guerra – é onipresente – e conforme a tecnologia aumenta, o poder de matar também aumenta, e é incrível ler as teorias de por que as pessoas fazem a guerra. Não vou explicá-los, vou apenas listar alguns deles que encontrei. Existe a teoria marxista, que tem a ver com a desigualdade econômica. Existe a teoria da evolução, que tem a ver com a sobrevivência do mais apto. Existe a teoria comportamental, de que existem algumas pessoas que têm uma tendência violenta inerente.

Existe a teoria demográfica – a teoria malthusiana, é chamada – de expansão da população que leva ao conflito. Existe a teoria racionalista, que tem a ver com a assimetria de informação; algumas pessoas simplesmente não têm informações suficientes. Depois, há a teoria da ciência política, uma busca por segurança, e assim por diante, e sabemos que James diz: “Você guerreia porque deseja e porque odeia”. Desde 1985 até recentemente, quase meio milhão de pessoas morreram todos os anos na guerra.

Na Segunda Guerra Mundial, 72 milhões de pessoas morreram. Em 755 – vamos voltar a 755 a 763, período da grande guerra na China – 36 milhões de pessoas morreram. Na conquista mongol no século 13, 30 a 60 milhões; 20 milhões na Primeira Guerra Mundial, e assim por diante – e essa é a história da humanidade, e não está mudando. Vai aumentar – espere até chegarmos a Apocalipse 6 , 9, 16, e você verá as guerras no final – a morte em massa acontecerá; morte em massa. E não apenas guerra, nesta categoria de desastres; haverá terremotos em vários lugares, também haverá fomes.

O relato de Luke diz que grandes terremotos, seismoi megaloi – mega terremotos, como o terremoto de 9 pontos a 80 milhas da costa do Japão. Ao longo da história, milhões e milhões – incontáveis ​​milhões – morreram em terremotos. Li esta semana que ocorrem meio milhão de terremotos por ano, todos os anos – você está em um lugar instável. Cem mil deles são sentidos, mas meio milhão se registram nas escalas Richter. Lucas 21 também acrescenta que haverá pragas, terrores e grandes sinais do céu.

Você quer pragas, que tal a peste negra – 1300 na Europa, carregada por ratos – matou 60% da população da Europa, mais de cem milhões de pessoas; como cerca de 40 milhões ou mais, na grande gripe do início do século XX. Grandes sinais do céu, terrores, incêndios, doenças, calor, frio, inundações, furacões, tornados, seca – é um lugar perigoso, e o pior ainda está por vir – Apocalipse 6 e Apocalipse 8 – nosso Senhor diz: “Essas coisas” – no versículo 7 – “deve acontecer, mas ainda não é o fim”.

É a natureza de viver em um planeta amaldiçoado; ainda não é o fim. Na verdade, se você olhar para o final do versículo 8, ele diz que eles são apenas o começo das dores do parto. Essa é uma analogia com as contrações de uma mulher – elas são separadas, são leves e se intensificam e intensificam e intensificam em grande grau pouco antes do nascimento. O que estamos vendo na história humana é apenas o começo, são apenas as contrações leves; espere até ver o que vai acontecer antes do fim.

Dois mil anos dessas contrações mais brandas explodirão no final, no tempo da tribulação, descrito a partir do versículo 14, e mais em detalhes em Apocalipse 6 a 19. Predições surpreendentes de nosso Senhor – destruição, engano, desastre – um quarto, angústia; angústia. De condições que afetam o mundo inteiro, nosso Senhor se volta para condições que afetam os crentes. Isso, tenho certeza, os discípulos não queriam ouvir. Versículo 9: “Vigiai; porque eles vão entregar você aos tribunais, e você será açoitado ”- e assim ele vai.

“Esteja em guarda” – um choque para seus sentidos. Não vai melhorar, vai piorar. Isso não é o que eles esperavam com a chegada do messias – não é o que eles queriam – perseguição, angústia, para os crentes? Bem, isso não é novo. Ele disse a eles que isso iria acontecer, lá no capítulo 10: “Eu os envio como ovelhas no meio de lobos; sê astuto como as serpentes e inocentes como as pombas. Mas cuidado com os homens, porque eles os entregarão aos tribunais e os açoitarão nas sinagogas ”- isso foi no início de seu tempo como discípulos.

Mas acho que eles provavelmente pensaram: “Oh, bem, já sofremos isso. Sim, já enfrentamos a hostilidade dos judeus. Já vimos seu ódio e animosidade ”- embora não haja registro no ministério de Jesus de que tenham sido levados ao tribunal, açoitados e açoitados. Talvez eles pensassem que era conversa metafórica e tudo isso era passado – não é verdade. Na noite seguinte – quinta-feira à noite – quando eles se reunirem no cenáculo, nosso Senhor lhes dirá com certeza – caso eles estejam se perguntando – que isso definitivamente ainda é futuro.

“Se o mundo te odeia” – João 15:18– “você sabe que Me odiava antes de você. Um escravo não é maior que seu mestre. Se eles me perseguiram, eles também o perseguirão.” E então Ele diz – no capítulo 16 versículo 2, isto é na quinta-feira à noite no cenáculo – “Eles farão de vocês párias nas sinagogas. Eles vão matar você pensando que estão oferecendo serviço a Deus. Você ainda não experimentou isso. Você vai experimentar ”- e como2 Timóteo 3:12 diz: “Todos os que vivem piedosamente em Cristo Jesus serão perseguidos” – será cada vez pior, vai piorar.

Especificamente, “eles o entregarão aos tribunais e você será açoitado na sinagoga” – isso é perseguição aos judeus. As cortes de Israel ficavam em sinagogas; os tribunais eram realizados nas sinagogas, os casos eram julgados nas sinagogas, por juízes locais nomeados, e açoitamentos foram decretados nas sinagogas, e eles foram realizados e executados lá, e nunca mais de 40 chicotadas. Esse foi o máximo, 40 chicotadas, e sempre deram 39, porque não queriam contar mal e ultrapassar o limite.

É por isso que Paulo diz: “Cinco vezes recebi 39 açoites dos judeus” – ele foi arrastado para as sinagogas, foi acusado de blasfêmia e foi espancado. Mas a perseguição não virá apenas dos judeus – e, a propósito, o livro de Atos lhe contará a história disso; Atos 4 , 5, 8, 12, 13, 21, 22, 25, 26, você terá em todos aqueles capítulos do livro de Atos o registro da perseguição aos judeus – mas não será apenas perseguição aos judeus. Ele diz a eles – volte a Marcos – será a perseguição aos gentios; no meio do versículo 9: “Estareis perante governadores e reis por minha causa, em testemunho para eles.”

Atos registra que também – a perseguição aos gentios no capítulo 16, 17, 18, 21, 24, 25 e 26 também – então, virá até você dos judeus, virá dos gentios até você – e pelos Dessa forma, quando você chega em Apocalipse 6 , 7, 13, 17, 18, você vê a pior perseguição antes da vinda do Senhor. O quadro geral é que a religião falsa massacrou os cristãos, e está acontecendo agora, enquanto falamos neste mundo moderno. Porque é que eles fazem isto? Eles fazem isso porque odeiam Cristo. É por isso que eles fazem isso; eles se ressentem de Cristo.

Eles fazem isso “por minha causa” – versículo 9 – “por minha causa, por minha causa”. Como Paulo disse: “Eu trago no meu corpo as marcas de Cristo”, ou como Ele disse aos Colossenses, “Eu preencho na minha carne os sofrimentos de Cristo”. É uma coisa séria. Eles estão pensando no reino, e Ele está lhes dizendo: “Não é o que vocês pensam; não é o que você pensa, mas no meio de tudo isso ”- isso é tão maravilhoso -“ no meio de tudo isso, você vai dar um testemunho a eles, porque toda essa perseguição não vai quebrar a sua fé; todo esse sofrimento não fará com que você negue – negue o seu Cristo.

Em meio a todo esse sofrimento, a graça abundará para vocês ”- e onde há esse tipo de perseguição, onde há esse tipo de sofrimento, a graça abunda – 2 Coríntios 12 nos diz isso. O Senhor nos dá toda graça de que precisamos, não nos deixa ser tentados acima do que podemos, nos dá uma saída, e o que vai acontecer é, você vai, em meio a esse sofrimento, dar um testemunho. Temos um registro disso, não temos – Foxes Book of Martyrs – eu tenho três volumes originais, e eles são tão grandes – o registro de todas as pessoas que deram testemunho da honra de Cristo em meio ao enfrentamento da morte .

E com esse aviso vem uma promessa: “o evangelho deve primeiro ser pregado a todas as nações.” Apesar do ódio, o evangelho vai até os confins do mundo; eles não vão apagá-lo – na verdade, sempre dizemos que o sangue dos mártires se torna a semente da igreja. NoAtos 1: 8, Ele disse: “Ide por todo o mundo e pregai o evangelho; Jerusalém, Judéia, Samaria, os confins da terra; sejam Minhas testemunhas. ” Estamos 2.000 anos depois disso, e o evangelho, para todos os efeitos e propósitos, cobriu o mundo, não é?

Ele cobriu o mundo; 2.000 anos depois, ele se espalhou até os confins do globo – exatamente o que Jesus disse – você não pode matá-lo. Imagine só: Ele está sentado ali com esses 12 homens, um dos quais iria traí-lo em algumas horas – aquele pequeno grupo de ninguém – e Jesus disse: “De você, o evangelho cobrirá o mundo”. Que profecia, isso se cumpriu.Mateus 24:14em seguida, acrescenta: “Então virá o fim.” Perseguição, sim – mas apesar dessa perseguição, a promessa de que o evangelho cobrirá o globo, e então uma promessa pessoal no versículo 11.

“E quando te prenderem e quando te entregarem, não te preocupes de antemão com o que tens de dizer, mas diz o que te for dado nessa hora; porque não sois vós que falais, mas sim o Espírito Santo. ” Não é uma promessa maravilhosa? Às vezes você lê sobre os mártires cantando hinos, dando testemunho de Cristo. Passei anos e anos lendo esses testemunhos, e o poder do Espírito Santo viria sobre eles e eles proferiam coisas que no momento humano estavam muito além da força e do poder humanos; isso é conforto, então, eles recebem uma promessa e um conforto.

“Nenhum de seus oponentes” – Lucas 21:15 diz: “Nenhum de seus oponentes será capaz de refutá-lo” – “seu testemunho será tão poderoso”. Foi o que aconteceu. Praticamente todos os apóstolos foram martirizados; o último deles, João, acabou no exílio, uma espécie de martírio permanente. Eles foram mortos de uma miríade de maneiras diferentes – decapitados, crucificados – que não impediu a propagação, e no momento de sua morte – como com todos os verdadeiros crentes ao longo da história em meio à perseguição – o Espírito de Deus estava lá para elevá-los acima da força humana, para dizer coisas que foram basicamente geradas em seus corações pela obra do Espírito Santo.

No versículo 12, Jesus diz que não só você será perseguido pelos judeus e perseguido pelos gentios, como também será perseguido na sua própria família: “O irmão entregará o irmão à morte, e o pai ao filho; e os filhos se levantarão contra os pais e os condenarão à morte ”. Eu simplesmente não consigo imaginar como foi difícil para eles ouvirem isso; eles tinham tanta esperança. Oh, há pessoas que dizem: “Bem, Jesus veio, fez um bom esforço – falha miserável.” Huh, Ele previu exatamente o caminho que a história seguiria; exatamente da maneira que seria.

Haveria literalmente animosidade em uma família. Volte para Mateus 10 – está tudo em Mateus 10 , está em Mateus 14 – quantas vezes você se lembra de Jesus dizendo: “Você tem que odiar seu pai, odiar sua mãe, sua irmã, seu irmão, até mesmo sua própria vida, para ser meu discípulo? ” Esta é a realidade, e novamente digo, a realidade corresponde às Escrituras. Jesus estava correto sobre a destruição do templo. Ele estava certo sobre o engano sem fim, que aumentaria no final, então você tem Jesus aqui e Jesus ali.

Ele estava correto sobre a escalada de desastres de todas as proporções. Ele estava correto sobre a angústia da perseguição e martírio, e sobre a propagação do evangelho até os confins da terra. Ele deve ser Deus; só Deus sabe disso. E então uma declaração final – versículo 13 – “Você será odiado por todos por causa do meu nome” – “será por minha causa” – “mas aquele que perseverar até o fim será salvo”. Aquele que perseverar até o fim será salvo – o que você quer dizer com salvo? Levado à glória; levado para o céu. O que você quer dizer com aquele que persiste até o fim?

Como podemos sobreviver? Como podemos lidar com isso – como podemos lidar com a perseguição aos judeus, aos gentios, o ódio familiar, a perseguição familiar, a execução familiar – como podemos lidar com isso? Bem, a verdade é que aquele que perseverar até o fim, será salvo; e o que estamos aprendendo com isso? Que os falsos cristãos não serão capazes de lidar com isso. “Pela sua resistência” –Lucas 21:19– “vocês vão ganhar suas vidas”. Você não ganha a salvação pela perseverança; você prova que tem a coisa real pela resistência.

A fé superficial entrará em colapso sob a perseguição – “Eles saíram de nós porque não eram de nós” – 1 João 2:19. Esta é a verdade básica do evangelho: a fé autêntica dada por Deus perdurará, porque o Espírito Santo proverá força, Deus proverá graça. Problemas, engano, perseguição, sofrimento queimarão a palha; revelará o solo raso, cheio de ervas daninhas e pedregoso da falsa profissão, e sob esse tipo de pressão, o interesse superficial em Cristo não terá resistência.

E então, eu digo novamente, não ganhamos nossa salvação perseverando, não mantemos nossa salvação rangendo os dentes e perseverando; demonstramos nossa salvação perseverando. Temos uma salvação que é um dom da graça; é autenticado em meio ao sofrimento. Tiago: “Tende grande alegria, meus irmãos, quando encontrardes várias provações, sabendo que a prova de vossa fé produz perseverança.” A verdadeira fé é fortalecida para durar.

Pedro, em 1 Pedro 1 : “Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que segundo a sua grande misericórdia nos fez nascer de novo para uma esperança viva, por meio da ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos, para obter uma herança imperecíveis, imaculados, não desaparecerão, reservados no céu para vocês, que são protegidos pelo poder de Deus através da fé para uma salvação pronta para ser revelada no último tempo. ”

Então isto: “Nisto te alegres muito, ainda que agora por pouco tempo, se necessário, tens sido angustiado por várias provações, de modo que a prova da tua fé, sendo mais preciosa do que o ouro que é perecível, ainda que provado por fogo, pode resultar em louvor, glória e honra na revelação de Jesus Cristo. ” O teste de sua fé produz perseverança; o teste de sua fé prova que é a coisa real.

Portanto, nosso Senhor dá um aviso, promessa, conforto e até mesmo esperança celestial em face do caminho que a história inevitavelmente deve seguir. Isso cobre toda a história até o tempo da tribulação, desencadeada pelo evento do versículo 14, que veremos no próximo domingo. Pai, agradecemos pelo tempo maravilhoso que tivemos esta noite em Tua Palavra. Isso nos estende, expande nossa compreensão e nosso pensamento, nos desafia, nos leva à Sua Palavra para saber mais e compreender mais. Como temos fome de saber, para que possamos conhecê-lo e para que possamos entender o mundo como o mundo realmente é.

Obrigado pela realidade da Sua Palavra, a veracidade da Sua Palavra, que nos dá uma compreensão precisa de tudo o que está acontecendo ao nosso redor. É um lugar perigoso para se viver; mesmo que haja marcas de Sua benevolência e Sua graça comum ao nosso redor, é um lugar perigoso para se viver; e precisamos ter certeza de que fomos resgatados desse perigo pela fé no Senhor Jesus Cristo.

O que quer que aconteça, seja guerra ou terremoto ou fome, ou incêndio, ou inundação, ou perseguição, ou o que quer que aconteça, sabemos que nós, que temos aquela fé que é um presente seu, a verdadeira coisa durará até o fim, e entre em Sua glória. Essa promessa definitiva nos protege no meio de tudo; nós te agradecemos por isso. Como um dom da graça, reconhecemos que não podemos merecê-lo e nada podemos fazer para mantê-lo; é Você que o concede e Você que o sustenta. Agradecemos por isso.

Que possamos ser fiéis para viver de modo que possamos honrar e dar um testemunho como os mártires ao longo da história fizeram para Sua glória em face de todas as dificuldades. Seja honrado em cada vida, nós oramos. Essas coisas pedimos para a glória de nosso Salvador. Amém.

Transcrição do site de Grace to you, traduzida pelo Google Tradutor.

Continua nesta aula:

E sobre os muçulmanos, recomendamos a resenha do livro Esperança para os muçulmanos, Reunindo os filhos de Abraão.

Posts mais recentes

O Fruto de Nove Partes 

O combustível do Espírito no desenvolvimento de um caráter como o de Cristo é libertador, porque nos aproxima de ser quem fomos designados a ser, a pessoa que nossos corações renovados pelo Espírito querem que sejamos. – Tim Keller O Fruto do Espírito está listado em Gálatas 5 –amor, alegria, paz, paciência, bondade, benignidade, fidelidade, … Mais

Quiasmo e os 4 evangelhos

Como aprendo com a @teologica.br! Quiasmo em grego significa “formar como a letra Χ”. É uma figura de linguagem em que elementos são dispostos de forma cruzada, com uma ideia central no meio. A tradição oral é especialmente rica em quiasmos, pois isso facilita a memorização. É interessante ver que os livros de Lucas e … Mais

Emoções à luz da Bíblia

Todo mundo lida com suas próprias estações, mas entregar-se perpetuamente a elas não produz bons frutos. Excelente o debate 93 com dois pastores e uma psicóloga (muito cristã):

Missão Batista na Amazônia

No culto de oração da PIB do Brás de quarta-feira, 29/09/2021, pudemos conhecer o cenário do projeto Amazônia da JMN, com o missionário Feijão que faz parte do Projeto Missionário Trombetas. A Amazônia possui 775 municípios com uma população em torno de 24 milhões de pessoas (IBGE, 2010) e cerca de 35 mil comunidades ribeirinhas … Mais

Carregando…

Ocorreu um erro. Atualize a página e/ou tente novamente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s