Gratidão é um sentimento de reconhecimento

O dia 6 de janeiro é considerado o Dia da Gratidão. Apesar da data, muitas pessoas ainda não sabem como serem gratas, ainda mais em um período de grandes adversidades como o que vivemos durante o ano passado.

Gratidão é um sentimento de reconhecimento, uma emoção por saber que uma pessoa fez uma boa ação, um auxílio, em favor de outra.

Gratidão é uma espécie de dívida, é querer agradecer a outra pessoa por ter feito algo muito benéfico para ela.

Sentir-se grato também é associado a um estado de espírito, e não se refere somente a bons acontecimentos da vida de uma pessoa, que também pode sentir-se grata por experiências ruins que lhe trouxeram algum aprendizado.

Tiago 1:2-4 – “Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações, pois vocês sabem que a prova da sua fé produz perseverança. E a perseverança deve ter ação completa, a fim de que vocês sejam maduros e íntegros, sem que falte a vocês coisa alguma.”

Salmos 119:71 – “Foi-me bom ter eu passado pela aflição, para que aprendesse os teus decretos.”

Uma das características mais importantes da fé cristã é a gratidão a Deus. Afinal de contas temos vários motivos para agradecer a Deus em nosso dia a dia, sendo que o principal deles é a nossa salvação, o perdão dos nossos pecados.

Salmos 103:1-5 – “Bendiga o Senhor a minha alma! Bendiga o Senhor todo o meu ser! Bendiga o Senhor a minha alma! Não esqueça nenhuma de suas bençãos! É ele que perdoa todos os seus pecados e cura todas as suas doenças, que resgata a sua vida da sepultura e o coroa de bondade e compaixão, que enche de bens a sua existência, de modo que a sua juventude se renova como a águia.”

É interessante observar que Davi começa esse Salmo dando ordem a sua alma para bendizer ao Senhor e a não esquecer de nenhum de seus benefícios ou bençãos, principalmente o perdão dos nossos pecados e a nossa salvação.

A salvação é a maior dádiva de Deus, a maior expressão do seu amor, da sua bondade, da sua misericórdia para conosco, portanto esse deve ser o maior motivo da nossa gratidão.

Devemos agradecer a Deus por tudo o que temos recebido dele, porém nada pode se comparar a esse bem maior, que é a salvação da nossa alma. Afinal de contas nada trouxemos para esse mundo e nada vamos levar, nem mesmo esse corpo que é perecível, mas a nossa alma sim, essa é eterna.

A trindade divina trabalhou em prol da nossa salvação:

Se Deus não tivesse enviado o seu Filho para pagar o preço da nossa redenção e justificação, estaríamos perdidos para sempre. João 3:16 – “Porque Deus amou tanto o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.”

Se Jesus não tivesse se submetido a vontade do Pai, indo a cruz em nosso lugar e derramando o seu sangue pelos nossos pecados, estaríamos perdidos para sempre. João 6:38 – “Pois desci do céu, não para fazer a minha vontade, mas para fazer a vontade daquele que me enviou.”

Se o Espírito Santo não tivesse nos convencidos do pecado, da justiça e do juízo de Deus, estaríamos perdidos para sempre. João 16:7-8 – “Mas eu lhes afirmo que é para o bem de vocês que eu vou. Se eu não for, o Conselheiro não virá para vocês; mas se eu for, eu o enviarei. Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo.”

A salvação é o melhor presente de Deus e a maior prova de amor aos homens. Romanos 5:8 – “Mas Deus demonstra seu amor por nós: Cristo morreu em nosso favor quando ainda éramos pecadores.”

Há uma tendência no ser humano em esquecer as coisas boas que aconteceram em sua vida e a focar mais nas coisas ruins ou naquelas que ainda não aconteceram. Essa atitude pode nos levar a insatisfação, ingratidão e consequentemente a murmuração.

Quem conhece a história dos Hebreus, desde a sua libertação da escravidão do Egito, sua trajetória pelo deserto e a entrada na terra prometida, sabe o quanto eles agiram com ingratidão em vários momentos dessa jornada. E essa atitude custou muito caro para eles. Muitos morreram no deserto sem ter tido o privilégio de entrar na terra da promessa. A ingratidão, leva a murmuração, que leva a rebeldia, e pôr fim a morte.

Deus exortou a nação de Israel, para que tomassem cuidado quando entrassem na terra prometida, de nunca esquecer de onde Ele os tirou, e como os conduziu até entrar na terra. Deveriam ter sempre em mente os benefícios do Senhor para com eles. Leia o texto de Deuteronômio 8:1-18.

Devemos nos lembrar de onde o Senhor nos tirou, de cada livramento que Ele nos deu, da sua provisão, da sua direção, de cada promessa cumprida, de cada oração respondida, de cada milagre recebido, e orar agradecendo a Deus por tudo o que Ele tem feito por nós.

Que tal praticarmos mais a oração de gratidão a Deus e expressarmos mais gratidão as pessoas que ele coloca em nosso caminho para ser benção em nossas vidas?

Que tal ligar ou enviar mensagem para pessoas que foram bençãos na sua vida, que te estenderam as mãos na hora da aflição, que deram uma palavra de encorajamento quando você pensava em desistir?

Que Deus nos ajude a sermos mais gratos por tudo e expressarmos isso com nossas atitudes.

Pastores Almir e Iva Coutinho, da IMEF Curitiba.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s