A verdade irá libertá-lo

É tão preciosa a mensagem do pastor John MacArthur na Grace to you em 04/07/2021 que senti vontade de guardar e trazer para cá.

Bem, como todos sabemos, hoje é quatro de julho; e é historicamente o dia em que, neste país, celebramos a liberdade, remontando à época em que a América nasceu de uma revolução e conquistou sua liberdade. A liberdade sempre foi algo muito valorizado em nossa sociedade, pelo menos até agora. Ao longo dos últimos dois séculos, a liberdade parecia estar no topo da lista de coisas que as pessoas queriam manter em nossa cultura e sociedade. E ao longo dos anos tem havido uma frase que tem sido usada em relação à liberdade – é a frase “A verdade o libertará” ou “A verdade o libertará”.

É interessante saber de quantas maneiras essa frase foi usada. É familiar. Existem inúmeras aplicações disso. Existem inúmeras interpretações disso. Existem até alguns memes bizarros baseados nessa afirmação: “A verdade o libertará”. Suponho que seja amplo o suficiente para ser abrangido por tantos aspectos diversos de nossa cultura. Platão meio que começou o que se tornou uma abordagem filosófica para essa afirmação; e os filósofos disseram, seguindo Platão, que “Encontre a verdade que está em você – autoconhecimento, seja fiel à sua verdade – e você será livre.” Essa é a interpretação filosófica dessa declaração.

Há uma interpretação psicológica de “A verdade o libertará” e é esta: “Diga a verdade e você estará livre da culpa.” Diga a verdade, não importa quanto dano cause a qualquer outra pessoa. Seja brutalmente honesto; não o guarde, ou você causará algum dano psicológico a si mesmo. A liberdade é encontrada quando você se rebela contra todas as mentiras que diz a si mesmo sobre si mesmo e que outras pessoas contam a seu respeito. “Sua verdade o libertará, mas você tem que trabalhar para gerá-la”, disse um psicólogo.

E há a abordagem cínica da afirmação “A verdade o libertará”. Um cínico disse: “A verdade acabará por libertá-lo, mas no início apenas o deixará com raiva”. Na maioria das vezes, a verdade não o torna livre, mas o deixa assustado, ansioso, deprimido. Alguma verdade colocará sua vida em perigo. Alguma verdade, se você contasse, faria com que fosse preso, colocado na prisão. Alguma verdade pode até expor você à ameaça de morte.

E, a propósito, a maioria dos filósofos, psicólogos e cínicos concordaria que não existe uma verdade real e absoluta. A verdade é o que você quiser; não há verdade objetiva e absoluta. Verdade é tudo o que você quiser que seja verdade para o seu bem-estar. Seja verdadeiro com sua própria verdade e você estará livre dos tipos de coisas que torturam sua própria psique.

O problema com a verdade objetiva e o problema com a verdade absoluta é que é muito desconfortável, porque a verdade absoluta e a verdade objetiva aumentam sua responsabilidade moral. E você realmente não quer isso, não em uma cultura hedonista. Aumentar sua obrigação moral, aumentar sua responsabilidade moral não parece liberdade.

“A verdade o libertará” também encontrou seu caminho na academia. É a declaração do Instituto de Tecnologia da Califórnia – Caltech. Eles adotaram “A verdade o libertará” em 1925. E desde 1925, isso realmente não funcionou muito bem no mundo científico, porque se você ler artigos recentes escritos por cientistas do Caltech, eles dirão que não mais é a ciência movida pela busca da verdade, é basicamente movida por um subsídio do partido político no poder. E, conseqüentemente, a ciência deu lugar à política. Portanto, qualquer que seja a busca pela verdade, em 1925, ela agora está completamente comprometida pela política.

E então há o próprio governo. Se você visse o prédio original da CIA, veria esculpido na frente desse prédio: “A verdade o libertará”. E todos nós estamos bastante convencidos de que a CIA não seria um bom lugar para encontrar a verdade. Eles estão totalmente comprometidos com a política e as ideologias de nossa cultura. Eles seriam considerados, em um ponto de nossa história, os protetores de tudo o que é verdadeiro, certo e bom. Mas eles foram corrompidos pelo resto da corrupção da qual não podem escapar.

Existe, então, liberdade política e social. “A verdade o libertará.” Como isso funciona em nossa sociedade? Não sou um crítico social, como você sabe, mas acho que pode haver uma perspectiva que irá ajudá-lo, pois falamos um pouco sobre esse tipo de perspectiva temporal e terrena sobre a liberdade.

Em 1932, um ateu devoto de nome Aldous Huxley escreveu Admirável Mundo NovoAdmirável Mundo Novoera um romance distópico que olhava para o futuro e presumia que não demoraria muito para que o Ocidente fosse completamente cativo do totalitarismo – isto é, governado por uma força dominante, onde você tem apenas duas classes: a classe dominante e todo o povo que estão sujeitos a eles. DentroAdmirável Mundo Novo, ele retratou como seria a vida.

Foi cerca de dezessete anos depois que George Orwell, outro ateu devoto, escreveu 1984, outro romance distópico que olha para o futuro. E apenas examinando isso recentemente em meus próprios pensamentos, tirei dessas duas imagens do totalitarismo no futuro do Ocidente, que são percepções prescientes e surpreendentes de alguns ateus. O governo totalitário, ambos dizem, é essencialmente a escravidão político-social absoluta de todos. Estamos acostumados com o que é chamado de escravidão. CHATTEL. A escravidão do chattel é quando uma pessoa possui outra pessoa; escravidão política é quando o estado é dono de todos – mas o efeito sobre o indivíduo é idêntico. Chegamos a um ponto na história americana em que odiamos a escravidão. Na verdade, nós criamos um movimento massivo, movimento racial, agora, baseado na escravidão do passado. Pessoas sobem a alturas nobres para condenar a escravidão, ao mesmo tempo, eles estão se tornando escravos do estado de boa vontade. E o fim é exatamente o mesmo: alguém é seu dono e você desiste de sua liberdade.

Agora, que elementos da sociedade e da política produzem esse tipo voluntário de escravidão estatal? Com base em Orwell e Huxley, é assim que eles dizem que seria o totalitarismo. Aqui estão os elementos necessários. Um: uma crise. Uma crise coloca a liberdade em perigo porque uma crise eleva o controle do governo. E quanto mais severa a crise e quanto mais controle o governo obtém, mais as liberdades começam a desaparecer.

Em segundo lugar, o coletivo é mais importante do que o individual. O bem maior é o bem da sociedade, não o seu bem. “Não nos importamos com o que você quer ou pensa, temos que parar o aquecimento global. Não nos importamos quais são suas liberdades, as coisas que você deseja e deseja, você não pode dizer isso; você não pode acreditar nisso; você não pode fazer isso. ” Porque o coletivo é muito mais importante do que o individual. “O avanço do LGBTQ é muito mais importante no lado social para o bem da sociedade do que qualquer coisa que você pense sobre isso.” Portanto, o coletivo domina o indivíduo. Todos são forçados a entrar no coletivo.

Em terceiro lugar, você precisa de uma psicose em massa. Você precisa de uma psicose em massa, algo que deixe todo mundo com medo – como uma praga, como uma pandemia, como máscaras – que cria uma ameaça maior do que abrir mão da liberdade. As pessoas correram para abrir mão de suas liberdades quando houve uma ameaça que criou uma psicose em massa. Continue a enganar para que continuem a acreditar nas mentiras e você aumentará o controle.

Número quatro: informações de controle. Controle o que as pessoas ouvem, o que elas acreditam. E a forma de controlar as informações é a seguinte: Crie confusão, envie todos os tipos de sinais diversos para que nada fique realmente claro. Então você está criando uma espécie de irracionalidade aceitável, uma espécie de loucura. Censure o que você não quer; controlar pessoas por tecnologia e mídia.

Número cinco – e esta é uma característica dominante de ambos os romances: hedonismo. Liberte todos os tipos de imoralidade em todos os lugares. Crie uma situação de luxúria sexual desimpedida. Deixe as pessoas ficarem completamente perdidas no prazer, sem limites para qualquer tipo de comportamento sexual. Preencha a cultura com pornografia, porque enquanto eles estão desimpedidos em seus desejos sexuais, enquanto eles estão perdidos no prazer hedonista, eles não estão pensando.

Número seis: alimente-os com entretenimento irracional, acessível, irrelevante, que distraia e sem fim – para que vivam em um mundo de fantasia e estimulação emocional, em vez de pensamento. Número sete: tornar as drogas disponíveis para todos porque pessoas drogadas ou bêbadas são inofensivas. E número oito – isso é fundamental: se você quiser dominar uma população inteira, isole-os uns dos outros – porque quando você os isola uns dos outros, você controla a narrativa. Você os afasta dos exemplos de algo diferente. Foi isso que os ateus criaram como o caminho para o totalitarismo distópico, no qual as pessoas distraídas, emburrecidas, drogadas, desistem de suas liberdades.

Agora, qual é a maior ameaça para isso? A maior ameaça para isso é muito simples: alguma outra autoridade que não o governo. E, a propósito, não espere que os políticos consertem isso; eles são o problema. Eles são os poderosos; eles não vão consertar isso. Um não político tentou consertar, mas não conseguiu a ajuda de todos os políticos. Você não pode recorrer a eles para consertar, eles são os poderosos; eles são a elite, pessoas sedentas de poder que apenas querem mais poder.

Qual é a ameaça para eles? Outra autoridade – na verdade, outra autoridade que é uma autoridade maior, que é uma autoridade transcendente, que é uma autoridade eterna, e que se revelou claramente nas páginas da Sagrada Escritura. Então, quem é seu maior inimigo? Deus. Qual é o livro que eles mais temem? A Bíblia.

Não sei como será a liberdade nesta cultura ocidental no futuro. Mas eu vejo tudo isso se formando – e isso é, como eu disse, de volta aos anos 1930 a 1940. Mas certamente conseguimos marcar todas as caixas – certo? – para criar o totalitarismo. E aqui estamos nós, tão nobremente chateados com a liberdade que foi tirada dos escravos no passado, enquanto ao mesmo tempo – emburrecidos, estupidamente, sem mente, luxuriosamente – nós desistimos de todas as nossas liberdades e nos tornamos escravos do estado, e o fim é exatamente o mesmo.

Mas quando falamos sobre “A verdade o libertará”, a psicologia falha, a psicologia falha. Você está apenas brincando com você mesmo. A filosofia falha, porque a verdade não está em você. Não há valor em ser cínico e acreditar que a verdade não existe porque nenhuma verdade objetiva e absoluta existe. O sistema educacional nas universidades falha. A ciência falha porque é corrompida. E o governo, o governo – quando o governo falha – e o governo falha – então a história é contada, porque eles estão no comando. Portanto, seja o que for que signifique, “A verdade o libertará” não tem nada a ver com nenhuma dessas coisas de que tenho falado, porque estão todas corrompidas. Estamos falando de algo diferente.

Portanto, abra sua Bíblia em João 8 . Não sei como será a política do futuro. É muito claro que estamos caminhando para o totalitarismo – estamos caminhando para o controle da mente, estamos caminhando para a censura, estamos caminhando para a imoralidade em um nível que nunca vimos, onde as leis são feitas para proteger o imoral e para punir aqueles que são morais. Todas essas coisas são realidades. Portanto, está bem claro que estamos caminhando no caminho do totalitarismo, o que, é claro, já foi tentado no passado; e é sempre um desastre porque o totalitarismo sempre termina da mesma maneira: termina com milhões de pessoas sendo massacradas, porque as pessoas que desafiam a força totalitária morrem. Isso é história.

E eu entendo que agora, o que temos feito aqui na Grace Church é um ato de desafio contra os esforços totalitários deste governo que está ultrapassando seus limites. Não respondemos a eles, respondemos a uma autoridade superior. Agora eu quero que você entenda isso no contexto em que nosso Senhor disse, então olhe para João 8:31.

“Jesus dizia então aos judeus que creram nele: ‘Se continuardes na minha palavra, sereis verdadeiramente meus discípulos; e você saberá a verdade, e a verdade o libertará ‘”- aí está essa declaração. “Eles responderam-lhe: ‘Somos descendentes de Abraão e nunca fomos escravizados por ninguém; como é que Você diz: “Você se tornará livre”? ‘ Jesus respondeu-lhes: ‘Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é escravo do pecado. O escravo não fica para sempre na casa; o filho permanece para sempre. Portanto, se o Filho o libertar, você será realmente livre. ‘”Que declaração maravilhosa.

“A verdade o libertará.” Que verdade e que liberdade? Essa é a questão. Essa é a questão. Ao pensarmos em responder a essa pergunta, voltamos ao versículo 31 e como tudo surgiu. Havia alguns judeus, o versículo 30 diz, que “passaram a crer em” Jesus. Isso mesmo, eles passaram a acreditar em Jesus. Quem são eles? Bem no versículo 22, diz que eles eram judeus; mas se você continuar voltando ao versículo 13, eles eram fariseus. Jesus está conversando com os fariseus, os líderes judeus. E alguns deles, na verdade muitos, passaram a acreditar Nele.

Isso coloca em questão o quão legítima era sua crença. Já vimos isso antes no evangelho de João. Voltando ao capítulo 2, versículo 23, “Quando Jesus estava em Jerusalém na Páscoa, durante a festa, muitos creram em Seu nome, observando os sinais que Ele estava fazendo. Mas Jesus, por sua vez, não se confiava a eles, pois conhecia todos os homens, e porque não precisava de ninguém para testemunhar a respeito do homem, pois Ele mesmo sabia o que havia no homem ”. E o que Ele sabia era que qualquer que fosse sua crença, não era suficiente para salvá-los. Eles creram em Seu nome, vendo os sinais; Ele não se comprometeu com eles, porque essa crença era superficial.

Vimos isso novamente no capítulo 6, versículo 60: “Muitos dos seus discípulos, quando ouviram isto, disseram: ‘Esta é uma declaração difícil; quem o pode ouvir? ‘”No versículo 61,“ Jesus, sabendo que os seus discípulos se queixavam disso, disse-lhes:’ Isso vos faz tropeçar? E se você vir o Filho do Homem ascendendo para onde estava antes? É o Espírito que dá vida; a carne para nada aproveita. ‘”Em outras palavras:“ Você tem uma visão superficial. E se você visse toda a glória? ”

Então Ele diz no versículo 65: “Ninguém pode vir a Mim, a menos que o Pai lhe conceda.” Versículo 66, “Como resultado disso, muitos de Seus discípulos se retiraram e não andavam mais com Ele. E Jesus disse aos doze: ‘Vocês não querem ir também, não é?’ E Simão Pedro disse: ‘Senhor, para quem iremos nós? Você tem as palavras da vida eterna. Nós cremos e vimos que Tu és o Santo de Deus. ‘”E então Jesus respondeu identificando Judas:“’ Eu mesmo não escolhi vocês, os doze, e um de vocês é um demônio? ‘ Agora ele se referia a Judas, filho de Simão Iscariotes, pois ele era um dos doze e iria traí-Lo. ”

Portanto, vemos uma crença que não é uma crença salvadora no capítulo 2. Vemos um discipulado que não é genuíno no capítulo 6. Portanto, a questão surge, então, com respeito – versículo 30 – para aqueles que acreditaram Nele: Qual era a natureza disso acreditando? Qual foi a natureza disso? Era a coisa real, ou era apenas mais desse mesmo fascínio por Jesus e por Seu ensino e por Seus milagres? Jesus estava dizendo aos judeus que acreditaram nele: “Se vocês continuarem na Minha palavra, serão meus discípulos verdadeiramente”. Isso salta fora deste texto:alēthōs mathētēs, discípulos genuínos. “Discípulos verdadeiros, autênticos e verdadeiros são identificados porque continuam na Minha palavra. Eles continuam na Minha palavra. ”

Lembramos de Mateus 7 , onde Jesus disse: “Muitos me dirão: ‘Senhor, Senhor!’ E direi a eles: ‘Afastai-vos de mim; Eu nunca os conheci, vocês que praticam a iniqüidade. ‘”Por quê? “Porque você não obedeceu a minha palavra.” E Ele fala sobre as pessoas que eram religiosas e construíram uma casa na areia.

Na primeira epístola de João, 1 João 2:19, ele responde à pergunta: “E as pessoas que aparecem no reino do Cristianismo e depois desaparecem?” E João escreve: “Eles saíram de nós, porque não eram de nós; se fossem de nós, teriam continuado conosco; mas eles saíram de nós, para que fosse manifesto que eles nunca foram de nós. ”

Existe uma falsa fé. Existe uma falsa fé. Existe deserção. Há pessoas que são como solo ervoso, em Mateus 13 , onde a semente é lançada e algo surge; mas antes que possa dar qualquer fruto, ele murcha e morre, sufocado pelo amor às riquezas, os cuidados deste mundo. De fato emLucas 8:13, nosso Senhor diz: “Eles crêem por um tempo e, no momento da tentação, caem”. Portanto, há muito falso discipulado.

Houve então – e Judas é o protótipo. Havia, entre os outros discípulos que cercavam Jesus, falsos discípulos que o deixaram e O abandonaram. Os próprios discípulos nem tinham certeza, quando Jesus disse que alguém O havia traído em volta daquela mesa no cenáculo. Eles disseram: “Sou eu? Sou eu? Sou eu? ” Eles não sabiam quem era; eles pensaram que poderia muito bem ser eles, como Judas. Eles nem mesmo confiaram em seus próprios corações.

A propósito, este não é um assunto isolado. Em Mateus 13 , o Senhor nos dá o caráter do reino – e estamos no reino agora. E o caráter do reino é que haverá trigo e joio – certo? – crentes verdadeiros e falsos crentes. Embora a semente seja semeada, algumas cairão em solo duro, algumas cairão em solo cheio de ervas daninhas, algumas cairão em solo bom. Haverá trigo; haverá joio.

E o reino – será como um arbusto de mostarda que fica enorme. O reino será enorme e se tornará quase como uma árvore, com todos os tipos de coisas dentro. O reino será grande e dentro dele haverá o verdadeiro e o falso.

Então Jesus contou uma história sobre uma rede de arrasto, como jogar sua rede no mar e arrastar absolutamente tudo para dentro, e todos os tipos de coisas vêm na rede. E Jesus estava dizendo que a rede visível do reino vai pegar todos os tipos de coisas: boas, más e indiferentes. E eu seria negligente se não dissesse que essa é uma questão crítica para entendermos. A falsa fé é uma realidade. É uma realidade, e é verdade tanto entre as congregações quanto entre os pregadores.

Portanto, de volta ao texto do versículo 31: “Os judeus que acreditaram nele, os judeus que acreditaram nele”. A conversa começa ali no versículo 31. Mas vá até o versículo 44 e observe o que Ele diz a eles: “Vocês são de seu pai, o diabo”. Espere um minuto, eles acreditaram Nele! Sim, mas eles ainda estavam no reino das trevas. Eles eram de seu pai, o diabo.

Fica pior. Vá para o final do capítulo, versículo 59: “Pegaram pedras para atirar nele”, para O apedrejar até a morte. Estes são os judeus que acreditaram Nele, mas que ainda eram filhos de Satanás. E quando eles chegaram ao fim da conversa naquele dia, eles queriam matar Jesus com a violência da turba.

Começar a acreditar é fácil. Você busca algum enriquecimento pessoal. Você busca algum poder sobre a fraqueza. Você busca algum desejo do seu coração. Você busca uma vida melhor. Você quer mais da vida. Você quer escapar do medo. Você quer sentir alguma esperança. Você quer pertencer a algo. Você deseja ajuda sobrenatural. Existem muitos assim; e há muitos pregadores que pregam isso como se fosse o evangelho. Mas quando o mundo e a carne e o diabo, fortalecidos pelo pecado e engano, puxam fortemente contra Cristo, o meio-crente, amando o pecado e as trevas, enfraquece e cede às duras exigências de Satanás e da carne e do mundo, e cai com falta de verdadeiro arrependimento, fé humilde e submissão; cai para trás. Essa fé superficial e temporária é uma realidade importante em todo o ministério de nosso Senhor. Ele está sempre preocupado com isso.

Quem tem verdadeira fé? Quem tem verdadeira fé? E novamente, versículo 30, eles criam Nele; mas eles ainda eram filhos do diabo, versículo 44, e eles tentaram matá-lo. Essa crença inicial é muito perigosa. O escritor de Hebreus diz: “Se você chegar a esse ponto e cair, pode não ser capaz de ser renovado novamente para o arrependimento”. O estado espiritual mais perigoso é não ter nenhum conhecimento de Cristo, mas ter conhecimento suficiente de Cristo para estar inclinado a Ele, mas não querendo dar-Lhe um compromisso total, não querendo dar-Lhe tudo.

No capítulo catorze de Lucas, versículo 25, “grandes multidões o acompanhavam; e Ele voltou-se e disse-lhes: ‘Se alguém vem a Mim e não odeia seu próprio pai e mãe e esposa e filhos e irmãos e irmãs, sim, e até mesmo sua própria vida, ele não pode ser Meu discípulo. Quem não carrega sua própria cruz e não vem atrás de mim não pode ser meu discípulo. ‘”Uau. Em vez de se virar e dizer a eles: “Estou tão feliz que vocês estejam se juntando ao movimento”, ele basicamente os para e diz que “a menos que vocês estejam dispostos a abandonar todos os relacionamentos humanos e todas as posses humanas para reconheça-me como Senhor, você não pode ser Meu discípulo. ” É um compromisso total.

Jesus sabia que não era o caso em João 2 . Todos nós vimos que não era o caso com os discípulos em João 6 . Certamente não foi o caso com esses supostos fariseus e líderes judeus crentes em João 8 . Toda fé em Jesus – ouça – não é fé salvadora.João 12:42, “Muitos até dos príncipes criam nele, mas por causa dos fariseus não o confessavam, por medo de serem expulsos da sinagoga; pois eles amavam a aprovação dos homens em vez da aprovação de Deus. ” Espere um minuto. Eles acreditavam Nele, mas estavam mais preocupados com o que as pessoas pensavam do que com o que Deus desejava? “Eles não o estavam confessando.” Jesus disse: “Se você me confessar diante dos homens, eu o confessarei diante de meu Pai que está nos céus”. Eles amavam a aprovação dos homens em vez da aprovação de Deus.

Alcançar a Cristo sem abrir mão dos prazeres carnais, dos relacionamentos confortáveis, da obstinação, é ficar aquém da verdadeira salvação; e não demorará muito para que isso se torne óbvio. Ficou claro nesta conversa que esses crentes ainda eram escravos do pecado. Eles ainda eram filhos de Satanás. Eles ainda odiavam a verdade; e eles eram até mesmo blasfemadores do Deus verdadeiro e assassinos contra Seu Filho. Então é com isso que estamos lidando. E Jesus disse a eles: “Se vocês continuarem na Minha palavra, serão verdadeiramente meus discípulos”.

Então, deixe-me dar a vocês dois pontos. Ponto número um: A referência do verdadeiro discipulado: perseverança na verdade. A referência do verdadeiro discipulado: perseverança na verdade. Isso não é algo isolado do ensino de Jesus. Ouça as palavras deTiago 2:17, “Mesmo assim, a fé, se não tiver obras, está morta.” A fé sem obras é morta. É assim que o capítulo termina.

Você poderia dizer que você acredita, mas se isso não aparecer em perseverar na verdade, perseverar na verdade, “continuando na minha palavra” – Na Grande Comissão, em Mateus 28 , Jesus disse: “Quando você for fazer discípulos, ensine-os a observar todas as coisas que eu lhes ordenei. ” Vir a Cristo não é simplesmente estabelecer que você acredita Nele, é se submeter a Ele em obediência. Está dizendo: “Jesus é o Senhor e eu sou Seu escravo”.

Este é um tema importante para os escritores do Novo Testamento. Não temos tempo para passar por todas as passagens. Mateus registra isso, Marcos registra, Lucas registra, João registra – porque era uma parte essencial do ministério de nosso Senhor Jesus. Primeiro João escreve uma epístola inteira sobre esta questão da verdadeira salvação em oposição à falsa salvação.

Mas deixe-me resumir nas palavras do escritor do livro de Hebreus, porque no livro de Hebreus há uma declaração de resumo que eu acho importante. Está dentroHebreus 12:14; diz: “Buscai a paz com todos os homens e” – ouça – “e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor”. Você viu aquilo? A menos que haja santificação, e esta seja uma vida separada do pecado, você nunca verá o Senhor.

Próximo verso, “Cuide para que ninguém fique sem a graça de Deus”. Não se atrapalhe porque você creu em Cristo, mas você nunca entregou sua vida a ele. Ou Tiago diz em Tiago capítulo 1: “Não seja apenas um ouvinte, mas um” – o quê? – “um cumpridor da palavra, para que não seja enganado”. Onde não há perseverança na verdade – isso significa amar a verdade e viver a verdade – não há salvação.

Portanto, a referência de fé duradoura e salvadora é continuar na Palavra. É santificação; é a obra da Palavra separar o crente do pecado. É uma fé que funciona e funciona para santificar o verdadeiro crente. Simplesmente declarado, não há salvação onde não há santificação. Efésios 2 , “Porque pela graça fostes salvos” – versículo 8 – “pela fé; não de vocês, é o dom de Deus; não como resultado de obras, para que ninguém se glorie. ” Mas o versículo 10, “Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou de antemão para que nelas andássemos”.

Ouça isto: Deus não é apenas soberano em sua salvação, Ele é soberano em sua santificação. Ele não determinou apenas na eternidade passada salvá-lo, mas também santificá-lo; e o padrão de sua santificação já é determinado por Deus. Não existe Deus trazendo justificação para alguém sem santificação. Deus ordenou sua salvação, sua justificação e também ordenou sua santificação. E Ele ordenou os detalhes dessa santificação; Ele ordenou as obras dessa santificação em que você anda.

Portanto, a referência, então, do verdadeiro discipulado é como você responde à verdade da Palavra de Deus, certo? Você ama a Palavra? Você se alimenta da Palavra? Você vive a Palavra? É o seu bem mais precioso? Salmo 19 , mais doce do que o mel, mais precioso do que o ouro.

Essa é a verdade. Essa é a verdade que o liberta. Quando você vem à Palavra de Deus e crê na Palavra de Deus, você é libertado. A verdade,naquelaverdade – aquela verdade da Palavra de Deus, incluindo o evangelho em toda a sua plenitude, que o evangelho que se relaciona com a justificação, bem como a santificação, bem como a glorificação – quando você abraça isso e persevere nessas verdades e não se desvie delas coisas, essa é a referência para ser um verdadeiro discípulo. Isso é o que lhe traz liberdade.

O que você quer dizer com liberdade? Do que estamos falando, de que liberdade? Vá para o versículo 32, “Você conhecerá a verdade” – a verdade conforme revelada na Palavra de Deus; você está perseverando nisso, você é um verdadeiro discípulo – “a verdade o libertará”. Livre em que sentido? Bem, “eles responderam-lhe: ‘Somos descendentes de Abraão e nunca fomos escravos de ninguém.’” Essa foi uma declaração ridícula; bem então quando eles disseram isso, eles estavam sob o domínio romano. E ao longo de toda a sua história, eles foram governados por muitas nações. Mas eles disseram: “Nunca fomos escravizados por ninguém”. E Jesus disse: “Sim, você tem uma escravidão.” Versículo 34, “Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é escravo do pecado”. “Você é um escravo do pecado. Você é um escravo do pecado. Esse é o seu problema. ”

O que é liberdade então? Liberdade da escravidão de quê? Pecado. É a verdade do evangelho, a verdade da Palavra de Deus que o liberta da escravidão do pecado.

Não sei que tipo de liberdade social nos espera. Para ser honesto com você, não é um grande problema para mim. Eu vejo o que está acontecendo, eu entendo isso. E eu entendo que o preço pode ser mais alto do que nunca em nossa sociedade, em nossa cultura, por ter outra autoridade que não o governo; e é isso que sempre leva à perseguição.

Eu disse a vocês há algumas semanas, o governo é sempre o perseguidor final porque eles têm o poder de vida ou morte. Mas se é isso que o Senhor deseja para nós, então é isso que Ele vai nos dar; e vamos nos regozijar com isso e contar com toda a alegria quando sofremos por Seu nome. Mas a liberdade da qual estamos falando aqui, e a liberdade que queremos proclamar ao mundo, não é liberdade política ou liberdade social ou liberdade psicológica ou liberdade filosófica ou liberdade científica – é liberdade espiritual.

Muito popular para falar sobre verdade e liberdade. E nada disso importa se tudo tem a ver com a vida neste mundo. Você observa as pessoas em busca da verdade. É uma afirmação nobre, totalmente corrompida e comprometida, que perdeu todo o significado. Você não pode ter certeza de que terá um julgamento justo para preencher as lacunas, porque não tem uma cultura de pessoas que se importam com a verdade.

Lembra-me do pescador desafiador. Eu amo a história: um homem abre caminho passando por escombros, terra arrasada; toda a cidade foi bombardeada. Ele encontra um enorme prédio de apartamentos deserto que está ali e entra por uma porta. Ele sobe as escadas de cimento para o alto do prédio, abre caminho por um corredor escuro até o final do corredor e se transforma em um pequeno banheiro. Encontra um homem sentado na pia pescando na banheira em uma cidade completamente bombardeada. Este é um pescador solitário e não há água na banheira. E então a figura na imagem diz: “Você não vai pegar nada lá”, ao que o pescador desafiador diz: “Eu sei”. E continua pescando.

Essa é a futilidade de procurar a verdade onde você nunca, nunca vai encontrá-la. A única verdade que vai libertar sua alma e libertá-lo gratuitamente do pecado para sempre é a verdade do evangelho. O mundo,2 Timóteo 3: 7, é “sempre aprendendo e nunca podendo chegar ao conhecimento da verdade”. Este é o esforço inútil da humanidade; eles são todos pescadores desafiadores lá. Eles têm sua linha em uma banheira vazia. “A verdade”, dizEfésios 4:21, “Está em Jesus”.

Não só a Bíblia diz que a verdade está em Jesus, a Bíblia diz, em João 14: 6, Jesus é a verdade. João 1:14, Ele é “cheio de graça e verdade”. Ele é o professor da verdade, João 16 . Aqueles que crêem Nele e em Sua Palavra são libertos do pecado. A verdade o libertará.

O cinismo do mundo estava nos lábios de Pilatos em João 18 . Pilatos disse a Jesus: “Então, você é um rei?” “Jesus respondeu: ‘Você diz corretamente que eu sou um rei. Para isso nasci e para isso vim ao mundo, para testificar da verdade. Todo aquele que é da verdade ouve a Minha voz. ‘ Pilatos disse: ‘O que é a verdade?’ ”Se você é cínico quanto à verdade, está condenado. “Todo aquele que é da verdade ouve a Minha voz.”

A única maneira de você conhecer a verdade que o liberta do pecado e da morte e do inferno é conhecendo a verdade que está em Jesus, que éo Senhor Jesus. Ele é a verdade. Sua palavra é a verdade. “Santifica-os pela Tua verdade” –João 17:17– “Tua palavra é a verdade.” A verdade o liberta da escravidão do pecado.

Os judeus não queriam admitir isso. Versículo 33, “Nunca fomos escravizados por ninguém; como é que Você diz: ‘Você se tornará livre’? ” “Nós nunca fomos escravos de ninguém. Não, nem o Egito, nem a Babilônia, nem a Medo-Pérsia, nem a Síria, nem Roma. ” Eles estão falando tolices.

Mas o grande problema é que suas almas estão em cativeiro. E Jesus diz isso, versículo 34: “Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é escravo do pecado”. Isso incluiria todos nós, certo? Se todo aquele que comete pecado é escravo do pecado, então somos todos escravos do pecado. Eles pensaram que eram livres; eles não eram. Eles não estavam livres da escravidão do pecado; e, portanto, eles não estavam livres de julgamento.

Veja o versículo 39 por um momento: Eles continuavam dizendo a Ele: “Nosso pai é Abraão”. O que você está falando? “Abraão é nosso pai.” “Bem”, Ele disse a eles, “se Abraão é seu pai, então pratique as obras de Abraão. Mas do jeito que está, você está procurando me matar, um homem que lhe disse a verdade, a qual eu ouvi de Deus. ” Essa é a loucura da cegueira humana. É apenas a verdade que pode libertá-los; e Aquele que é a verdade e fala a verdade é aquele que eles querem matar.

“Você está apenas fazendo as obras de seu pai”, versículo 41. E no versículo 44, “Você é de seu pai, o diabo, e deseja realizar os desejos de seu pai. Ele foi um assassino desde o início, não permanece na verdade porque não há verdade nele. ” O diabo é um mentiroso e o mundo inteiro está nas mãos do diabo. E isso é outra coisa na imagem que Huxley e Orwell retratam, que é: não diga a verdade às pessoas.

Versículo 45, se você é filho do diabo, você está acostumado a mentir; e quando alguém fala a verdade, você não acredita, você não acredita. Versículo 47: “Quem é de Deus ouve as palavras de Deus; por isso você não os ouve, porque você não é de Deus ”. Portanto, o versículo 34, nosso Senhor diz: “Seu problema é que vocês são escravos do pecado”. Assim é todo aquele que comete pecado. Essa escravidão o levará para o inferno.

Depois, no versículo 35, um golpe mortal contra sua segurança abraâmica: “O escravo não fica para sempre em casa; o filho permanece para sempre. ” Se você é um escravo, não estará por perto para receber a herança. Apenas um filho permanece para sempre; e isso é particularmente verdadeiro no reino de Deus. “Você sempre é uma escrava. Você morrerá como escravo na escravidão, e o julgamento se seguirá. Vocês são escravos do pecado, não são filhos. Você não tem um lugar permanente na família, você não tem futuro, você não é um herdeiro, você será deixado de fora da herança ”. Mas o versículo 36, “Se o Filho te libertar, você será realmente livre”. Agora você entende isso?

“De fato,” ontōsrealmente grátis, certamente grátis, verdadeiramente grátis. Liberdade total do pecado. Total liberdade, portanto, do engano, da opressão, depressão, punição, penalidade, até mesmo da presença do pecado, para sempre livre de todo pecado, na medida em que o apóstolo Paulo diz emRomanos 8: 1, “Portanto, agora nenhuma condenação há para aqueles que estão em Cristo Jesus.” É essa grande verdade que levou Charles Wesley a escrever: “Será que eu deveria ganhar interesse no sangue do Salvador?” – aquele grande hino que é uma celebração de ser libertado da escravidão ao pecado.

Então, quem é um verdadeiro discípulo? Quem é um verdadeiro seguidor de Jesus Cristo? Aquele que persevera na verdade, persevera por meio de bênçãos e sofrimento, aquele que é fiel e obediente – essa alma é um filho e não um escravo. Ele foi libertado da escravidão do pecado, para a liberdade da qual Cristo nos libertou.

Mais uma vez, gostei das coisas neste país como costumavam ser. Não sei o que o Senhor tem para nós no futuro, mas sei disso: já foi uma aventura incrível, não foi? Não sei se, ao longo dos anos em que estivemos juntos na Grace Church, tivemos momentos mais maravilhosos do que nos últimos dezoito meses – os mais difíceis e os melhores dos tempos. E geralmente é assim. É por isso que James disse: “Tenha alegria quando você cair em várias provações”.

Mas a mensagem para você hoje é, Você é real?Você é um verdadeiro discípulo? Você é umalēthōs mathētēs, um verdadeiro discípulo? E essa referência para o verdadeiro discipulado é que você continue na Palavra. Sei que é por isso que você está aqui, porque é isso que fazemos: ajudamos você a continuar na Palavra. E se você continuar na Palavra, então você está desfrutando da liberdade de alguém que foi totalmente perdoado, e você não é mais um escravo do pecado. Paulo diz em Romanos 6 que você é um escravo da justiça. Que pensamento glorioso. E você é um escravo de Cristo, que é o seu Senhor e Mestre.

O que quer que o mundo traga, deixe acontecer. Deus tem um plano. Não está melhorando; sabemos que está piorando. Naturalmente, chegamos a um ponto em que esperaríamos que as coisas piorassem; essa é a programação que o Senhor estabeleceu nas Escrituras. Isso significa que estamos nos aproximando do fim e da volta de Cristo, quando instantaneamente tudo será julgado. Estaremos na presença do Senhor. E depois de algum julgamento nesta terra, nós voltaremos, e Ele estabelecerá Seu glorioso reino. Nós ganhamos; Eu li o final. Você sabe que é parte disso. É melhor orar ou vou continuar. Vamos rezar.

Estamos muito gratos, Senhor, pela Palavra. Tão grato por sua verdade, tão grato por ser a verdade viva; não é apenas algo que lemos, não são apenas ideias, é poder. A Palavra é viva e poderosa. Ele se transforma; é a palavra transformadora. É a Palavra que dá vida. Você é o doador de vida, o Criador e cria com a Sua Palavra. Somos gerados novamente em uma nova vida como filhos pela Palavra da verdade. A Palavra e o Espírito nos levam das trevas para a luz, da morte para a vida.

Que cada um de nós examine nosso coração para ter certeza de que nossa fé é verdadeira. E sua referência é nosso amor pela verdade, e nosso desejo e desejo de obedecê-la, vivê-la e anunciá-la. Essa é a referência de quem foi libertado do pecado e se tornou um filho da justiça e um escravo da virtude e da santidade.

Senhor, opera a obra da salvação nos corações daqueles que ainda não chegaram a Cristo. Existem alguns que, como aqueles judeus, acreditaram, mas não acreditaram de forma salvífica; eles não largaram o mundo, eles se mantiveram firmes. Senhor, tire as garras do pecador de tudo e qualquer coisa – relacionamentos, posses, desejos, ambições – e que eles caiam, com toda a força nos braços de Cristo, confessando-O como Senhor, e sejam libertos do pecado para a liberdade com a qual Cristo estabeleceu nós grátis. Oramos em Seu nome e para Sua glória. Um homem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s